Nossos Músicos

Acervo em constante construção.
14 Bis

14 Bis

Instrumentista, Cantor Natural de Belo Horizonte Nasceu em Gênero musical: Música popular brasileira
Biografia

Grupo vocal e instrumental formado em 1979 por Flávio Venturini (teclados, violão, bandolim e voz), Cláudio Venturini (guitarra), Vermelho (teclados), Sérgio Magrão (contrabaixo) e Hely (bateria), músicos vindos dos conjuntos O Terço (Flávio Venturini e Sérgio Magrão) e Bendegó (Vermelho e Hely). Flávio Venturini e Vermelho eram também ligados ao Clube da Esquina. Influenciados pelos Beatles e pelo rock rural, batizaram o conjunto em homenagem a Santos Dumont que, como quase todos os integrantes do conjunto, era mineiro.

Dados Artistícos

Após algumas apresentações em Minas Gerais, o grupo estreou profissionalmente em São Paulo, no auditório da Fundação Getúlio Vargas.

Em 1979, gravou seu primeiro LP, “14 Bis”.

Na década de 1980, lançou “14 Bis II” (1980), “Espelho das águas” (1981), “Além Paraíso” (1982), “A idade da luz” (1984), “A nave vai” (1985), “Sete” (1987) e “14 Bis ao vivo” (1988).

Em 1987, Flávio Venturini desligou-se do conjunto, iniciando carreira solo.

Na década de 1990, o grupo lançou os discos “Quatro por quatro” (1992), “Siga o sol” (1996), que contou com a participação de Flávio Venturini em algumas faixas, e “Bis – Acústico” (1998), que contou com a participação de vários artistas.

Em 1999, apresentou-se com o Boca Livre no Metropolitan (RJ). O show foi gravado ao vivo, gerando o CD “Boca Livre e 14 Bis ao vivo”, lançado no ano seguinte. Entre seus maiores sucessos, destacam-se “Canção da América” (Milton Nascimento e Fernando Brant), “Bola de meia, bola de gude” (Milton Nascimento e Fernando Brant), “Todo azul do mar” (Flávio Venturini e Ronaldo Bastos), “Caçador de mim” (Sérgio Magrão e Luis Carlos Sá), “Espanhola” (Guarabyra e Flávio Venturini) e “Planeta Sonho” (Flávio Venturini, Vermelho e Márcio Borges).

Lançou, em 2004, o CD “Outros planos”, gravado entre março e novembro de 2003. No repertório, “Outono” e “Cedo ou tarde”, ambas de Cláudio Venturini e Sérgio Vasconcellos, “Canções de Guerra” (Sérgio Vasconcellos, Cláudio Venturini e Chico Amaral), “Até o dia clarear” (Flávio Venturini e Alexandre Blasifera), “Constelações” (Sérgio Vasconcellos, Cláudio Venturini e Murilo Antunes), “Gente do interior” (Sérgio Magrão e Cezar de Mercês), “Os sete raios de cristal” (Vermelho, Márcio Borges e Lô Borges), “Sinais de amor” (Sérgio Vasconcellos, Cláudio Venturini e Lô Borges), “A palavra coração” (Vermelho e Márcio Borges), “Quando é fácil se dizer” (Hely Rodrigues e Luiz Carlos Sá), “Mão amiga” (Cláudio Venturini, O.R. Santos e W.Cedotti), “Dias melhores virão” (Cláudio Venturini e Luiz Carlos Sá) e a faixa-título (Cláudio Venturini, Sérgio Vasconcellos, Ozório e Cedotti). O disco contou com a produção musical de Cláudio Venturini e Sérgio Vasconcellos.

Em 2005, apresentou-se no Canecão (RJ).

Lançou, em 2007, o CD e DVD “14 Bis – Ao vivo”, com a participação especial de Beto Guedes, Rogério Fausino (vocalista do grupo Jota quest), Flavio Venturini (um dos fundadores e integrante do grupo até 1987) e ainda do violonista Marcus Vianna. O grupo registrou o lançamento do DVD com show no Estrela da Lapa, no Rio de Janeiro.

Em 2013, encerrou, no Teatro Rival (RJ), a turnê do disco “14 Bis ao vivo”, somando 300 apresentações em quatro anos.

Discografia
  • • (1979) 14 Bis • EMI-Odeon
  • • (1980) 14 Bis II • EMI-Odeon
  • • (1981) Espelho das águas • EMI-Odeon • LP
  • • (1982) Além Paraíso • EMI-Odeon
  • • (1984) A idade da luz • EMI-Odeon • LP
  • • (1985) A nave vai • EMI-Odeon
  • • (1987) Sete • EMI-Odeon • LP
  • • (1988) 14 Bis ao vivo • EMI-Odeon • LP
  • • (1992) Quatro por quatro • EMI-Odeon • LP
  • • (1985) A nave vai • EMI-Odeon
  • • (1998) Bis-Acústico • PolyGram • CD
  • • (2000) Boca Livre e 14 Bis ao vivo • Indie Records • CD
  • • (2004) Outros planos • Indie Records • CD
  • • (2007) 14 Bis - Ao vivo • Sony BMG
Bibliografia

http://dicionariompb.com.br/

http://www.memoriamusical.com.br/

http://www.mis.rj.gov.br/

http://www.discotecapublica.com.br/

https://acervosmusicais.wordpress.com/

http://acervocompositores.art.br/

http://www.violaobrasileiro.com.br/

http://jornalggn.com.br/blogs/laura-macedo

http://www.otempo.com.br/hotsites/concha

http://musicosdobrasil.com.br/dissertacoes.jsf

ALBIN, Ricardo Cravo. MPB: A História de um século. Rio de Janeiro: Funarte, 1997.

AMARAL, Euclides. Alguns Aspectos da MPB. Rio de Janeiro: Edição do Autor, 2008. 2ª ed. Esteio editora, 2010. 3ª ed. EAS Editora, 2014.

AZEVEDO, M. A . de (NIREZ) et al. Discografia brasileira em 78 rpm. Rio de Janeiro: Funarte, 1982.

CABRAL, Sérgio. No tempo de Ary Barroso. Rio de Janeiro: Lumiar, 1993.

CARDOSO, Sylvio Tullio. Dicionário Biográfico da música Popular. Rio de Janeiro: Edição do autor, 1965.

EFEGÊ, Jota. Figuras e coisas da Música Popular Brasileira. Rio de Janeiro: MEC/Funarte, 1978.

EPAMINONDAS, Antônio. Brasil brasileirinho. Rio de Janeiro: Instituto Nacional do Livro,1982.

História da Música Popular Brasileira. São Paulo: Editora Abril, 1982.

LUNA, Paulo – No compasso da bola. Rio de Janeiro, Irmãos Vitale, 2011.

MARCONDES, Marcos Antônio. (ED). Enciclopédia da Música popular brasileira: erudita, folclórica e popular. 2. ed. São Paulo: Art Editora/Publifolha, 1999.

MARIZ, Vasco. A canção brasileira. Rio de Janeiro: Francisco Alves, 2000.

MORAES, Mário de. Recordações de Ary Barroso. Rio de Janeiro: MEC/FUNARTE,1979.

REPPOLHO. Dicionário Ilustrado de Ritmos & Instrumentos de Percussão. Rio de Janeiro: GJS Editora, 2012. 2ª ed. Idem, 2013.

SEVERIANO, Jairo e MELLO, Zuza Homem de. A canção no tempo. Volume 1. São Paulo: 34, 1997.

TINHORÃO, José Ramos. Música popular – teatro e cinema. Rio de Janeiro: Vozes, 1972.

VASCONCELOS, Ary. Panorama da Música Popular Brasileira. Vol. 2. Rio de Janeiro: Martins, 1965.