Nossos Músicos

Acervo em constante construção.
Aparecida

Aparecida

Cantor, Compositor Natural de Caxambu Nasceu em 4 de dezembro de 1939 Gênero musical: Axé music, Samba‎
Biografia

Maria Aparecida Martins

Aprendeu ritmos africanos com os parentes. Aos 10 anos foi para o Rio de Janeiro. Começou a cantar aos 13 anos e mais tarde conheceu Salvador Batista que fazia o programa A Voz do Morro e lhe deu lugar de passista em seu grupo de samba. Participou do filme Benito Sereno e O Navio Negreiro. Venceu o Festival de Música da Favela com a música Zumbi  Zumbi.  Sua composição de maior sucesso é o samba Boa Noite.

Dados Artistícos

No início da década de 1960, foi convidada a participar do filme “Benito Sereno e o Navio Negreiro”, por cuja atuação recebeu de prêmio uma viagem a França, onde se apresentou em uma boite interpretando, pela primeira vez, suas próprias composições.

Em 1965, voltou ao Brasil e venceu o “Concurso de Música de Carnaval do IV Centenário da Cidade do Rio de Janeiro”. Neste mesmo ano, foi também vencedora do “III Festival de Música de Favela”, com o samba “Zumbi, Zumbi”, representando a favela da Cafúa, de Coelho Neto.

No ano de 1968, compôs “A sonata das matas” para a Escola de Samba Caprichosos de Pilares.

É considerada, depois de Dona Ivone Lara, a segunda mulher a compor um samba-enredo vencedor dentro de uma escola de samba.

Em 1974, participou do LP “Roda de samba”. No disco, lançado pela gravadora CID, que reunia Darci da Mangueira, Sidney da Conceição, Sabrina e Chico Bondade, entre outros, gravou pela primeira vez uma composição de sua autoria, “Boa-noite”. Neste mesmo ano a gravadora CID lançou o LP “Roda de samba nº 2”, no qual interpretou “Proteção” (David Lima e Pinga) e “Rosas para Iasã”, de autoria de Josefina de Lima. No disco também participaram Nelson Cavaquinho, Sabrina, Roque do Plá, Rubens da Mangueira e Dida. No ano seguinte, também pela CID, lançou o LP “Aparecida”, no qual interpretou várias músicas suas, como “Talundê” (c/ Jair Paulo), “Tereza Aragão”, “Meu São Benedito”, “Inferno verde”, “Nanã Boroquê”, “Segredos do mar”, as duas últimas em parceria com Jair Paulo, e ainda uma adaptação do folclore “A Maria começa a beber”.

Em 1976, gravou o LP “Foram 17 anos”, lançado pela CID, no qual interpretou várias composições de sua autoria, entre elas “17 anos”, “Grongoiô, propoiô” (c/ João R. Xavier e Mariozinho de Acari) e “Diongo, mundiongo”.

Em 1977, lançou o disco “Grandes sucessos” e nos anos seguintes gravou pela RCA os LPs “Cantigas de fé” (1978) e “13 de maio” (1979), no qual interpretou, além da canção título, “Aleluia Dom Miguel”, “Mussy gatana”, “Ceará” e “Indeuá matamba”, todas de sua autoria.

Em 1980, lançou o disco “Os Deuses Afros”, que incluiu as músicas “Se segura Zé” (c/ Kacik) e outras composições suas gravadas em LPs anteriores.

No ano de 1996, a gravadora CID lhe prestou homenagem relançando em CD o disco “Aparecida, Samba, Afro, Axé”.

Obra
  • • A Maria começa a beber (adaptação do folclore)
  • • A sonata das matas
  • • Aleluia Dom Miguel
  • • Boa-noite
  • • Ceará
  • • Dezessete anos
  • • Diongo, mundiongo
  • • Grongoiô, porpoiô (c/ João Ricardo Xavier e Mariozinho de Acari)
  • • Indeuá matamba
  • • Inferno verde
  • • Meu Rio quatrocentão
  • • Meu São Benedito
  • • Mussy gatana
  • • Nanã boroquê (c/ Jair Paulo)
  • • Saravá, saravá Bahia
  • • Se segura Zé (c/ Kacik)
  • • Segredos do mar (c/ Jair Paulo)
  • • Talundê (c/ Jair Paulo)
  • • Tereza Aragão
  • • Todo mundo é preto
  • • Treze de maio
  • • Zumbi, Zumbi
Discografia
  • • (1974) Roda de samba nº 2 • CID • LP
  • • (1974) Roda de samba • CID • LP
  • • (1975) Aparecida • CID • LP
  • • (1976) Foram 17 anos • CID • LP
  • • (1977) Grandes sucessos • CID • LP
  • • (1978) Cantigas de fé • RCA Victor • LP
  • • (1979) 13 de maio • RCA Victor • LP
  • • (1980) Os deuses afros • CID • LP
  • • (1983) A rosa do mar • CID • LP
  • • (1996) Aparecida, samba, afro, axé • CID • CD
Bibliografia

http://dicionariompb.com.br/

http://www.memoriamusical.com.br/

http://www.mis.rj.gov.br/

http://www.discotecapublica.com.br/

https://acervosmusicais.wordpress.com/

http://acervocompositores.art.br/

http://www.violaobrasileiro.com.br/

http://jornalggn.com.br/blogs/laura-macedo

http://www.otempo.com.br/hotsites/concha

http://musicosdobrasil.com.br/dissertacoes.jsf

ALBIN, Ricardo Cravo. MPB: A História de um século. Rio de Janeiro: Funarte, 1997.

AMARAL, Euclides. Alguns Aspectos da MPB. Rio de Janeiro: Edição do Autor, 2008. 2ª ed. Esteio editora, 2010. 3ª ed. EAS Editora, 2014.

AZEVEDO, M. A . de (NIREZ) et al. Discografia brasileira em 78 rpm. Rio de Janeiro: Funarte, 1982.

CABRAL, Sérgio. No tempo de Ary Barroso. Rio de Janeiro: Lumiar, 1993.

CARDOSO, Sylvio Tullio. Dicionário Biográfico da música Popular. Rio de Janeiro: Edição do autor, 1965.

EFEGÊ, Jota. Figuras e coisas da Música Popular Brasileira. Rio de Janeiro: MEC/Funarte, 1978.

EPAMINONDAS, Antônio. Brasil brasileirinho. Rio de Janeiro: Instituto Nacional do Livro,1982.

História da Música Popular Brasileira. São Paulo: Editora Abril, 1982.

LUNA, Paulo – No compasso da bola. Rio de Janeiro, Irmãos Vitale, 2011.

MARCONDES, Marcos Antônio. (ED). Enciclopédia da Música popular brasileira: erudita, folclórica e popular. 2. ed. São Paulo: Art Editora/Publifolha, 1999.

MARIZ, Vasco. A canção brasileira. Rio de Janeiro: Francisco Alves, 2000.

MORAES, Mário de. Recordações de Ary Barroso. Rio de Janeiro: MEC/FUNARTE,1979.

REPPOLHO. Dicionário Ilustrado de Ritmos & Instrumentos de Percussão. Rio de Janeiro: GJS Editora, 2012. 2ª ed. Idem, 2013.

SEVERIANO, Jairo e MELLO, Zuza Homem de. A canção no tempo. Volume 1. São Paulo: 34, 1997.

TINHORÃO, José Ramos. Música popular – teatro e cinema. Rio de Janeiro: Vozes, 1972.

VASCONCELOS, Ary. Panorama da Música Popular Brasileira. Vol. 2. Rio de Janeiro: Martins, 1965.