Nossos Músicos

Acervo em constante construção.
Bauxita

Bauxita

Cantor Natural de Belo Horizonte Nasceu em Gênero musical:
Biografia

Ronald Hércules Messeder Esquerdo era conhecido, na infância, como Roninho e, na adolescência, virou o “Bauxita”. O apelido, que se tornou nome artístico, não tem um significado específico, mas foi dado por colegas em uma brincadeira e acabou pegando.

Dados Artistícos

Nascido e criado em Belo Horizonte (MG), ainda criança, demonstrava habilidades artísticas. Nos encontros familiares gostava de cantar e contar piadas para entreter os parentes. O lado musical herdou do pai, Sr. Carlos, que, na juventude, cantava em bares da capital mineira.

Com nostalgia e gratidão, Bauxita se recorda das primeiras músicas que cantarolava ao lado do pai dentro do carro, nas viagens em família. Sr. Carlos dizia ao filho que “cantor bom tinha que ter voz forte”. E foi ouvindo essa máxima do pai que o “Roninho” cresceu desenvolvendo seu talento e sua “voz forte”.

Com timbre e personalidade marcantes, Bauxita esteve à frente de diversas bandas e também chegou a lançar trabalho solo. Consagrou-se no cenário belorizontino de rock, apresentando-se nas principais casas noturnas de BH, nos maiores festivais de rock de Minas Gerais e programas de rádio e tv. Contemporâneo, amigo e parceiro de grandes artistas do cenário musical mineiro, é reconhecido e elogiado por todos por sua irreverência e voz singular.

Uma forte característica do cantor é a notável intensidade que coloca não só em tudo o que faz, mas em tudo o que vive. Foi assim em quase 30 anos de carreira na música secular e também em sua vida pessoal.

No tempo em que se apresentava nas noites, conheceu um lado de que hoje se recorda com tristeza de ter feito parte: o mundo das drogas, da prostituição, do orgulho, do ego e da vaidade. E, infelizmente, nesse mundo, Bauxita também viveu de forma intensa. Até que, este ano, pôde viver uma também intensa experiência, mas diferente de tudo o que já tinha conhecido e experimentado: o poder transformador do amor de Jesus.

Bauxita vive uma nova história baseada na entrega total de sua vida e seus projetos a Deus. Inspirado pela nova fase, o cantor trabalha no primeiro projeto totalmente autoral com letras que falam de sua experiência com Jesus e levam a mensagem do Evangelho.

Com muita convicção do chamado de Deus para a vida dele, Bauxita tem se dedicado integralmente a esse projeto e diz que “ assim como eu, que era o cara mais improvável de ser resgatado, quero ser instrumento de Deus para alcançar os mais improváveis”.

Bauxita foi batizado e congrega na Igreja Batista da Lagoinha, em Belo Horizonte. Com isso, decidiu utilizar do seu dom musical a favor da obra de Deus na Terra, tornando-se um cantor gospel.

Bibliografia

http://dicionariompb.com.br/

http://www.memoriamusical.com.br/

http://www.mis.rj.gov.br/

http://www.discotecapublica.com.br/

https://acervosmusicais.wordpress.com/

http://acervocompositores.art.br/

http://www.violaobrasileiro.com.br/

http://jornalggn.com.br/blogs/laura-macedo

http://www.otempo.com.br/hotsites/concha

http://musicosdobrasil.com.br/dissertacoes.jsf

ALBIN, Ricardo Cravo. MPB: A História de um século. Rio de Janeiro: Funarte, 1997.

AMARAL, Euclides. Alguns Aspectos da MPB. Rio de Janeiro: Edição do Autor, 2008. 2ª ed. Esteio editora, 2010. 3ª ed. EAS Editora, 2014.

AZEVEDO, M. A . de (NIREZ) et al. Discografia brasileira em 78 rpm. Rio de Janeiro: Funarte, 1982.

CABRAL, Sérgio. No tempo de Ary Barroso. Rio de Janeiro: Lumiar, 1993.

CARDOSO, Sylvio Tullio. Dicionário Biográfico da música Popular. Rio de Janeiro: Edição do autor, 1965.

EFEGÊ, Jota. Figuras e coisas da Música Popular Brasileira. Rio de Janeiro: MEC/Funarte, 1978.

EPAMINONDAS, Antônio. Brasil brasileirinho. Rio de Janeiro: Instituto Nacional do Livro,1982.

História da Música Popular Brasileira. São Paulo: Editora Abril, 1982.

LUNA, Paulo – No compasso da bola. Rio de Janeiro, Irmãos Vitale, 2011.

MARCONDES, Marcos Antônio. (ED). Enciclopédia da Música popular brasileira: erudita, folclórica e popular. 2. ed. São Paulo: Art Editora/Publifolha, 1999.

MARIZ, Vasco. A canção brasileira. Rio de Janeiro: Francisco Alves, 2000.

MORAES, Mário de. Recordações de Ary Barroso. Rio de Janeiro: MEC/FUNARTE,1979.

REPPOLHO. Dicionário Ilustrado de Ritmos & Instrumentos de Percussão. Rio de Janeiro: GJS Editora, 2012. 2ª ed. Idem, 2013.

SEVERIANO, Jairo e MELLO, Zuza Homem de. A canção no tempo. Volume 1. São Paulo: 34, 1997.

TINHORÃO, José Ramos. Música popular – teatro e cinema. Rio de Janeiro: Vozes, 1972.

VASCONCELOS, Ary. Panorama da Música Popular Brasileira. Vol. 2. Rio de Janeiro: Martins, 1965.