Nossos Músicos

Acervo em constante construção.
Celso Adolfo

Celso Adolfo

Cantor, Compositor Natural de São Domingos do Prata Nasceu em 9 de setembro de 1952 Gênero musical: Música popular brasileira
Biografia

Celso Adolfo Marques

Iniciou seus estudos musicais com o professor Tacinho, em sua cidade natal. Em 1969, mudou-se para Belo Horizonte, onde cursou a Escola Técnica Federal de Minas Gerais, de cujo coral foi integrante e presidente, sob a regência do maestro Roberto de Castro.

Dados Artistícos

Iniciou sua carreira musical atuando em bailes e festivais mineiros. Em 1972, compôs a trilha sonora para uma montagem da peça “O auto da compadecida”, encenada em Belo Horizonte e Aracaju. Fundou, em 1975, o quarteto Contracanto. No ano seguinte, apresentou-se no Teatro Francisco Nunes (BH), como convidado da temporada de Paulinho da Viola.

Em 1982, sua composição “Coração brasileiro” foi registrada por Milton Nascimento no LP “Ânima”.

No ano seguinte, a canção deu título ao seu primeiro disco, cujo repertório incluiu também “Cão vadio”, “Minha fé”, “Arenga de sapo”, “Flor bonita”, “Argentina”, “Azedo e mascavo”, “Calango dela”, “Pensa que nós é boi?”, “Sobra de vinhedo” e “Lua de São João”, todas de sua autoria. O trabalho contou com a participação e direção musical de Milton Nascimento. Ainda em 1983, “Coração brasileiro” foi gravada por Elba Ramalho, dando título ao LP e show da cantora.

Em 1984, sua canção “Azedo e mascavo” foi registrada por Elba Ramalho no LP “Do jeito que a gente gosta”, com arranjo de César Camargo Mariano.

Em 1988, lançou o LP “Feliz”, contendo suas composições “Nós dois”, “Aldebaran”, “Água”, “Chuva”, “Passarim”, “Africana”, “Depois do amor” (c/ Juarez Moreira), “Luz da tarde”, “Me deixa” e a canção-título. O disco contou com arranjos e direção musical de Túlio Mourão.

Lançou, em 1990, “Anjo torto”, um dos primeiros CDs independentes do país. Registrou no disco, que teve direção e arranjos de André Dequech e foi masterizado em Nova York, suas canções “A estrada do barro branco”, “Batom passado” (c/ Yuri Popoff), “Confissão”, “Arenga de sapo”, “Rio lava-pés”, “Dia da Terra”, “Três poderes”, “Pensa que nós é boi?”, “Prata de arreio” e “Nós dois”, além de “Anjo torto (Pixote)”. A partir desse ano, passou a se apresentar com regularidade nos Estados Unidos, tendo autorizado Denis Miller a utilizar a canção “Coração brasileiro” como tema e título de um programa de rádio apresentado pelo pesquisador norte-americano divulgando a música popular brasileira.

Em 1992, compôs, em parceria com Álvaro Apocalypse, a trilha sonora da peça “Tiradentes, uma história de títeres e marionetes”, participando também das apresentações do espetáculo, montado pelo Grupo Giramundo – Teatro de Bonecos, de Belo Horizonte.

Lançou, em 1995, o CD “Brasil, nome de vegetal”, contendo as faixas “Dois gumes”, “Sede”, “Me dei mal”, “Minueto”, “Depois do amor”, “Foi assim”, “Me deixa”, “Batom passado”, “Coração brasileiro”, “Nós dois” e “Na noite”, além da canção-título, todas de sua autoria. A faixa “Minueto”, sobre tema de J.S. Bach, com arranjo de Wagner Tiso, foi incluída na trilha sonora da novela “Fera ferida” (Rede Globo). O disco contou com a participação de Milton Nascimento, João Bosco, Aquarela Carioca, Roupa Nova, Wagner Tiso, Celso Fonseca, Nico Assumpção, Victor Biglione, Mingo Araújo e Robertinho Silva. Recebeu, no Manhattan Center, ao lado de Jorge Benjor, Martinho da Vila e Leo Gandelman, o Canta Brazil Award, idealizado pela produtora Liggia Canjani, da Rádio Suave.

Em 1998, lançou o CD “Festa do padroeiro”, produzido para São Domingos de Prata, com tiragem limitada. No repertório, suas composições “A estrada do Barro Branco”, “Rio lava-pés”, “Minha fé”, “Calango dela” e “Prata de arreio”, além da faixa-título. Nesse mesmo ano, lançou o CD “Celso Adolfo no Casteo Thun”, gravado ao vivo na Itália, além dos singles “Comandatuba” e “Santo Antônio na Querença”.

Em 1999, lançou os singles “Pagode do Gujoreba”, “Paixão atleticana” e “Valsa de Ana Emília”.

Em 2000, acompanhado por Jorge Helder (baixo) e Ronaldo Silva (bateria), seguiu em turnê internacional iniciada na Dinamarca, onde ministrou uma oficina com alunos do conservatório de Copenhague, seguindo para os Estados Unidos, realizando apresentações em Nova York, Nova Jersey, Massachusetts, Califórnia e Flórida. Nesse mesmo ano, lançou o CD “Celso Adolfo in Copenhagen”, gravado ao vivo na JazzHouse.

Lançou, em 2003, o CD “O tempo”, contendo as faixas “A terra dá”, “Água na bomba”, “Depois das dez”, “Dia santo”, “É a vida”, “Estrela da luz”, “Mão do pilão” e “Sem tirar nem por”, além da faixa-título, todas de sua autoria. Iniciou, em seguida, turnê de lançamento do disco pelo Brasil.

Obra
  • • A estrada do barro branco
  • • A terra dá
  • • Africana
  • • Água
  • • Água na bomba
  • • Aldebaran
  • • Anjo torto (Pixote)
  • • Arenga de sapo
  • • Argentina
  • • Azedo e mascavo
  • • Batom passado (c/ Yuri Popoff)
  • • Brasil, nome de vegetal
  • • Calango dela
  • • Cão vadio
  • • Chuva
  • • Comandatuba
  • • Confissão
  • • Coração brasileiro
  • • Depois das dez
  • • Depois do amor (c/ Juarez Moreira)
  • • Dia da Terra
  • • Dia santo
  • • Dois gumes
  • • É a vida
  • • Estrela da luz
  • • Feliz
  • • Festa do padroeiro
  • • Flor bonita
  • • Foi assim
  • • Lua de São João
  • • Luz da tarde
  • • Mão do pilão
  • • Me dei mal
  • • Me deixa
  • • Minha fé
  • • Minueto
  • • Na noite
  • • Nós dois
  • • O tempo
  • • Passarim
  • • Pensa que nós é boi?
  • • Prata de arreio
  • • Rio lava-pés
  • • Santo Antônio da Querença
  • • Sede
  • • Sem tirar nem por
  • • Sobra de vinhedo
  • • Três poderes
  • • Valsa de Ana Emíli
Discografia
  • • (1983) Coração brasileiro • Barclay/Ariola
  • • (1988) Feliz • Diplomata/Independente
  • • (1990) Anjo torto • Cia. do Som • CD
  • • (1995) Brasil, nome de vegetal • Velas • CD
  • • (1998) Celso Adolfo no Casteo Thun • Independente • CD
  • • (1998) Santo Antônio da Querença • Independente
  • • (1998) Comandatuba • Independente
  • • (1998) Festa do padroeiro • Independente • CD
  • • (1999) Celso Adolfo in Copenhagen • Independente • CD
  • • (1999) Valsa de Ana Emília • Independente
  • • (1999) Paixão atleticana • Independente
  • • (1999) Pagode do Gujoreba • Independente
  • • 2003) O tempo • Independente • CD
Bibliografia

http://dicionariompb.com.br/

http://www.memoriamusical.com.br/

http://www.mis.rj.gov.br/

http://www.discotecapublica.com.br/

https://acervosmusicais.wordpress.com/

http://acervocompositores.art.br/

http://www.violaobrasileiro.com.br/

http://jornalggn.com.br/blogs/laura-macedo

http://www.otempo.com.br/hotsites/concha

http://musicosdobrasil.com.br/dissertacoes.jsf

ALBIN, Ricardo Cravo. MPB: A História de um século. Rio de Janeiro: Funarte, 1997.

AMARAL, Euclides. Alguns Aspectos da MPB. Rio de Janeiro: Edição do Autor, 2008. 2ª ed. Esteio editora, 2010. 3ª ed. EAS Editora, 2014.

AZEVEDO, M. A . de (NIREZ) et al. Discografia brasileira em 78 rpm. Rio de Janeiro: Funarte, 1982.

CABRAL, Sérgio. No tempo de Ary Barroso. Rio de Janeiro: Lumiar, 1993.

CARDOSO, Sylvio Tullio. Dicionário Biográfico da música Popular. Rio de Janeiro: Edição do autor, 1965.

EFEGÊ, Jota. Figuras e coisas da Música Popular Brasileira. Rio de Janeiro: MEC/Funarte, 1978.

EPAMINONDAS, Antônio. Brasil brasileirinho. Rio de Janeiro: Instituto Nacional do Livro,1982.

História da Música Popular Brasileira. São Paulo: Editora Abril, 1982.

LUNA, Paulo – No compasso da bola. Rio de Janeiro, Irmãos Vitale, 2011.

MARCONDES, Marcos Antônio. (ED). Enciclopédia da Música popular brasileira: erudita, folclórica e popular. 2. ed. São Paulo: Art Editora/Publifolha, 1999.

MARIZ, Vasco. A canção brasileira. Rio de Janeiro: Francisco Alves, 2000.

MORAES, Mário de. Recordações de Ary Barroso. Rio de Janeiro: MEC/FUNARTE,1979.

REPPOLHO. Dicionário Ilustrado de Ritmos & Instrumentos de Percussão. Rio de Janeiro: GJS Editora, 2012. 2ª ed. Idem, 2013.

SEVERIANO, Jairo e MELLO, Zuza Homem de. A canção no tempo. Volume 1. São Paulo: 34, 1997.

TINHORÃO, José Ramos. Música popular – teatro e cinema. Rio de Janeiro: Vozes, 1972.

VASCONCELOS, Ary. Panorama da Música Popular Brasileira. Vol. 2. Rio de Janeiro: Martins, 1965.