Nossos Músicos

Acervo em constante construção.
Amaranto

Amaranto

Cantor Natural de Belo Horizonte Nasceu em Gênero musical: Música popular brasileira
Biografia

Grupo formado, em Belo Horizonte, pelas irmãs Flávia Ferraz (voz e violão), Lúcia Ferraz (voz, flauta e gaita) e Marina Ferraz (voz). O histórico remonta às bandas Flor de Cal, ainda sem a caçula Marina, e Rosa dos Ventos, com o trio já completo, que atuou durante dois anos no cenário artístico da capital mineira.

Dados Artistícos

Em 2000, lançou o CD “Retrato da vida”, contendo exclusivamente canções de Djavan: “Água de lua”, “Nuvem negra”, “Violeiros”, “Aliás”, “Mal de mim”, “A rota do indivíduo (Ferrugem)” (c/ Orlando Morais), “Faltando um pedaço”, “Pedro Brasil”, “Seca”, “Nem um dia”, “Curumim” e a faixa-título (c/ Dominguinhos).

No ano seguinte, lançou, com Marina Machado, o CD “Aos olhos de Guignard”, gravado ao vivo, em 2000, no Teatro da Maçonaria (BH). No repertório, somente músicas de autoria de Flavio Henrique: “Mayabê Ipô Cori”, “Pedra do reino”, “Mãos de ouro”, “Farewell”, “Era uma vez por toda a vida” e a faixa-título, todas com Murilo Antunes, “Quadros modernos” (c/ Toninho Horta e Murilo Antunes), “Caçada da onça” e “O que é o baião”, ambas com Dado Prates, “Casa aberta” (c/ Chico Amaral), “Choro livre” (c/ Paulo César Pinheiro), “Água marina” (c/ Márcio Borges) e “Sete estações”. O disco contou com a participação ao violão de Flavio Henrique, responsável também pela produção e direção musical e pelos arranjos instrumentais.

Em 2002, gravou participações nos discos “Graziela Cruz”, “Mar de montanhas” (Péricles Garcia) e “Chico Rei” (Geraldo Vianna).

Lançou, no ano seguinte, o CD “Brasilêro”, contendo as faixas “Introdução” (música de Tom Jobim baseada em texto de Érico Veríssimo), “Estrela de Oxum” (Rodolfo Stroeter e Joyce), “Quem vai ver o sol?” (Tiago Godoy e Édil Guedes), “Dançapé” (Mário Gil e Rodolfo Stroeter), “Chico, o caminhador” (Tavinho Moura e Fernando Brant), “O cavaleiro” (Milton Nascimento e Wilson Lopes), “Cinema é cachoeira” (Flávio Henrique e Murilo Antunes), “Porto das flores” (Tavinho Moura), “Noite e dia” (Juarez Moreira e Chico Amaral), “Nem nada” (Beto Lopes e Murilo Antunes), “Samba, samba…” (Toninho Camargos), “Flor de cal” (Guga Schultze), “A lágrima e o rio” (Wilson Lopes, Milton Nascimento e Ricardo Nazar) e “É só uma canção” (Juarez Moreira e Édil Guedes), além de apresentar pela primeira vez canções de autoria das próprias integrantes Flávia Ferraz (“Canta quando a noite cai” e “Paragem”, ambas com Édil Guedes) e Marina Ferraz (“Tarde”, parceria com Édil Guedes, “O vento e a voz”, parceria com Murilo Antunes, e “Dois”, parceria com Tiago Godoy). Nesse mesmo ano, fez show de lançamento do disco no Grande Teatro do Palácio das Artes, em Belo Horizonte. Também em 2003, gravou participações nos discos “A outra cidade” (Kristof, Makely e Pablo), “Presépio cantado” (Flávio Henrique) e “Dois em Pessoa” (Renato Motha e Patrícia Lobato

Discografia
  • • (2000) Retrato da vida-Amaranto canta Djavan • Independente • CD
  • • (2001) Aos olhos de Guignard-Flávio Henrique por Marina Machado e Amaranto • Independente •CD
  • • (2003) Brasilêro • Independente • CD
Bibliografia

http://dicionariompb.com.br/

http://www.memoriamusical.com.br/

http://www.mis.rj.gov.br/

http://www.discotecapublica.com.br/

https://acervosmusicais.wordpress.com/

http://acervocompositores.art.br/

http://www.violaobrasileiro.com.br/

http://jornalggn.com.br/blogs/laura-macedo

http://www.otempo.com.br/hotsites/concha

http://musicosdobrasil.com.br/dissertacoes.jsf

ALBIN, Ricardo Cravo. MPB: A História de um século. Rio de Janeiro: Funarte, 1997.

AMARAL, Euclides. Alguns Aspectos da MPB. Rio de Janeiro: Edição do Autor, 2008. 2ª ed. Esteio editora, 2010. 3ª ed. EAS Editora, 2014.

AZEVEDO, M. A . de (NIREZ) et al. Discografia brasileira em 78 rpm. Rio de Janeiro: Funarte, 1982.

CABRAL, Sérgio. No tempo de Ary Barroso. Rio de Janeiro: Lumiar, 1993.

CARDOSO, Sylvio Tullio. Dicionário Biográfico da música Popular. Rio de Janeiro: Edição do autor, 1965.

EFEGÊ, Jota. Figuras e coisas da Música Popular Brasileira. Rio de Janeiro: MEC/Funarte, 1978.

EPAMINONDAS, Antônio. Brasil brasileirinho. Rio de Janeiro: Instituto Nacional do Livro,1982.

História da Música Popular Brasileira. São Paulo: Editora Abril, 1982.

LUNA, Paulo – No compasso da bola. Rio de Janeiro, Irmãos Vitale, 2011.

MARCONDES, Marcos Antônio. (ED). Enciclopédia da Música popular brasileira: erudita, folclórica e popular. 2. ed. São Paulo: Art Editora/Publifolha, 1999.

MARIZ, Vasco. A canção brasileira. Rio de Janeiro: Francisco Alves, 2000.

MORAES, Mário de. Recordações de Ary Barroso. Rio de Janeiro: MEC/FUNARTE,1979.

REPPOLHO. Dicionário Ilustrado de Ritmos & Instrumentos de Percussão. Rio de Janeiro: GJS Editora, 2012. 2ª ed. Idem, 2013.

SEVERIANO, Jairo e MELLO, Zuza Homem de. A canção no tempo. Volume 1. São Paulo: 34, 1997.

TINHORÃO, José Ramos. Música popular – teatro e cinema. Rio de Janeiro: Vozes, 1972.

VASCONCELOS, Ary. Panorama da Música Popular Brasileira. Vol. 2. Rio de Janeiro: Martins, 1965.