Nossos Músicos

Acervo em constante construção.
Só Pra Contrariar

Só Pra Contrariar

Instrumentista, Cantor, Compositor Natural de Uberlândia Nasceu em Gênero musical: Pagode‎
Biografia

Grupo de pagode formado em 1989 na cidade de Uberlândia, em Minas Gerais. No início da carreira, o grupo foi integrado por Alexandre Pires (MG 8/1/1976): voz; Serginho Sales (MG 21/10/1969): teclado; Hamilton Farias (SP 30/9/1971): saxofone; Juliano Pires (MG 3/3/1971): percussão; Luis Vital (SP 8/4/1968): contrabaixo; Rogério Viana (MG 8/9/1970): percussão; Fernando Pires (MG 8/1/1974): persussão e voz; Luis Fernando (MG 26/7/1971): percussão e Alexandre Popó (MG 1/6/1973): percussão

Dados Artistícos

O primeiro CD foi lançado pela gravadora BMG em 1993. As músicas “Que se chama amor” e “A barata” foram muito executadas em quase todas as emissoras de rádio, chegando o disco a vender 900 mil cópias. Em 1995, lançou o CD “O samba não tem fronteiras”, outro sucesso de vendas que reuniu 20 mil pessoas em show homônimo no Rio de Janeiro. As músicas que ficaram conhecidas desse disco foram “Tão só” e “Nosso sonho não é ilusão”. Em julho de 1996 foi lançado o CD “Só Pra Contrariar Futebol Clube”, com músicas já conhecidas e apenas uma faixa inédita: “Tributo aos Mamonas”, composta em homenagem aos integrantes da banda Mamonas Assassinas, mortos em um acidente de avião naquele ano. O disco “O melhor do SPC” revelou as músicas “Depois do prazer” (Chico Roque e Sérgio Caetano) e “Mineirinho”, ambas grandes sucessos do grupo, fazendo com que o disco vendesse mais de três milhões de cópias. Em 1998, o grupo lançou “Cuando acaba el placer”, com os sucessos cantados em espanhol. No ano seguinte, o “World Music Awards”, prêmio dado aos artistas recordistas em vendas em diversos países, em sua décima edição, concedeu ao Só Pra Contrariar o prêmio de grupo brasileiro que mais vendeu em 1997. Nesse evento, que pela primeira vez teve a participação de um grupo brasileiro, também foram homenageadas as Spice Girls (grupo feminino inglês), a cantora colombiana Shakira, a cantora americana Mariah Carey, entre outros. Mike Tyson, que estava na platéia, entusiasmou-se com o grupo, fato que se transformou em notícia em vários jornais nos EUA, Espanha e América Latina. Ainda em 1999, excursionou pela Europa e por vários países latino-americanos. No ano 2000, lançou o CD “SPC – Só Pra Contrariar”, no qual interpretou “Você virou saudade” (Pinochio), “De outras vidas” (Luiz Cláudio e Régis Danese), “A vida é bonita sem você” (Marcos Valle e Carlos Colla) e “Vem morar comigo” de Altay Veloso e Paulo César Feital. Por essa época, Alexandre Pires deixou o grupo para se dedicar à carreira solo. Em 2002 lançou o disco “SPC Acústico” (o último com a participação de Alexandre Pires). No CD foram incluídos alguns dos maiores sucessos do grupo e outras inéditas: “Um amor puro”, “Mineirinho” e “Forró no escuro”. O disco ainda contou com a participação especial de Gilberto Gil e Caetano Veloso. Em 2003 o SPC mudou de vocalista, saiu Alexandre Pires e entrou o irmão, Fernando Pires. O grupo lançou um novo disco, “Produto nacional”, a partir do qual passou a interpretar o chamado “Samba de raiz”, deixando de lado o “Pagode romântico”. No ano seguinte, lançou o CD “A vida me deu você”.

Obra
  • • Balada da noite (Alexandre Pires, Pedro Ferreira, Barry Gibb, Mauríce Gibb e Robin Gibb)
  • • Bom astral (Alexandre Pires e Lourenço)
  • • Feito neném (Lourenço e Alexandre Pires)
  • • Profunda saudade (Alexandre Pires)
  • • Tributo aos Mamonas (Alexandre Pires e Luiz Cláudio)
Discografia
  • • (1993) Só Pra Contrariar • BMG • CD
  • • (1995) O samba não tem fronteiras • BMG • CD
  • • (1996) Só Pra Contrariar Futebol Clube • BMG • CD
  • • (1997) Só Pra Contrariar • BMG • CD
  • • (1997) O melhor do Só Pra Contrariar • BMG • CD
  • • (1998) Cuando acaba el placer • BMG • CD
  • • (2000) SPC-Só Pra Contrariar • BMG • CD
  • • (2002) SPC Acústico • BMG
  • • (2003) Produto nacional • BMG • CD
  • • (2004) A vida me deu você • BMG • CD
Bibliografia

http://dicionariompb.com.br/

http://www.memoriamusical.com.br/

http://www.mis.rj.gov.br/

http://www.discotecapublica.com.br/

https://acervosmusicais.wordpress.com/

http://acervocompositores.art.br/

http://www.violaobrasileiro.com.br/

http://jornalggn.com.br/blogs/laura-macedo

http://www.otempo.com.br/hotsites/concha

http://musicosdobrasil.com.br/dissertacoes.jsf

ALBIN, Ricardo Cravo. MPB: A História de um século. Rio de Janeiro: Funarte, 1997.

AMARAL, Euclides. Alguns Aspectos da MPB. Rio de Janeiro: Edição do Autor, 2008. 2ª ed. Esteio editora, 2010. 3ª ed. EAS Editora, 2014.

AZEVEDO, M. A . de (NIREZ) et al. Discografia brasileira em 78 rpm. Rio de Janeiro: Funarte, 1982.

CABRAL, Sérgio. No tempo de Ary Barroso. Rio de Janeiro: Lumiar, 1993.

CARDOSO, Sylvio Tullio. Dicionário Biográfico da música Popular. Rio de Janeiro: Edição do autor, 1965.

EFEGÊ, Jota. Figuras e coisas da Música Popular Brasileira. Rio de Janeiro: MEC/Funarte, 1978.

EPAMINONDAS, Antônio. Brasil brasileirinho. Rio de Janeiro: Instituto Nacional do Livro,1982.

História da Música Popular Brasileira. São Paulo: Editora Abril, 1982.

LUNA, Paulo – No compasso da bola. Rio de Janeiro, Irmãos Vitale, 2011.

MARCONDES, Marcos Antônio. (ED). Enciclopédia da Música popular brasileira: erudita, folclórica e popular. 2. ed. São Paulo: Art Editora/Publifolha, 1999.

MARIZ, Vasco. A canção brasileira. Rio de Janeiro: Francisco Alves, 2000.

MORAES, Mário de. Recordações de Ary Barroso. Rio de Janeiro: MEC/FUNARTE,1979.

REPPOLHO. Dicionário Ilustrado de Ritmos & Instrumentos de Percussão. Rio de Janeiro: GJS Editora, 2012. 2ª ed. Idem, 2013.

SEVERIANO, Jairo e MELLO, Zuza Homem de. A canção no tempo. Volume 1. São Paulo: 34, 1997.

TINHORÃO, José Ramos. Música popular – teatro e cinema. Rio de Janeiro: Vozes, 1972.

VASCONCELOS, Ary. Panorama da Música Popular Brasileira. Vol. 2. Rio de Janeiro: Martins, 1965.