Nossos Músicos

Acervo em constante construção.
Gustavo Maguá

Gustavo Maguá

Instrumentista, Cantor, Compositor Natural de Belo Horizonte Nasceu em Gênero musical: Funk, Música popular brasileira, Rock, Samba‎, outro
Biografia

O gosto pela música veio de dentro de casa. Desde sua infância, Gustavo Maguá, nascido e criado em Belo Horizonte, já criava laços com a música. O talentoso músico mineiro, Gustavo Maguá apresenta uma inédita mistura do samba e da gafieira com o rock, o funk, a MPB e o soul.

Dados Artistícos

Gustavo Maguá
Gustavo Maguá
O gosto pela música veio de dentro de casa. Desde sua infância, Gustavo Maguá, nascido e criado em Belo Horizonte, já criava laços com a música. Nomes como Noel Rosa, Demônios da garoa, Waldir Azevedo, Clara Nunes, Adoniram Barbosa formavam o time de referências para o jovem aprendiz, todos apresentados por seu pai.

Na sua adolescência, foi influenciado pelo pop, rock e então começou a tocar violão. Mais tarde, de volta ao samba, frequentou inúmeras rodas, principalmente no Morro das Pedras (comunidade inserida em seu bairro – Nova Granada), onde Maguá aprendeu na prática o feliz ofício de tocar o principal ritmo brasileiro. Nos anos de 2001 e 2002, participou de um dos mais expressivos projetos sociais ligados à música em Belo Horizonte, o Arautos do Gueto. A partir daí que suas influências foram se misturando montando uma miscelânea de ritmos tendo o samba como direção.

Em Outubro de 2010, Maguá se apresentou no grande teatro do Palácio das Artes, no show da sambista e parceira Aline Calixto, convidando Martinho da Vila.

Já se apresentou em vários festivais de inverno, destaque para o de Ouro Preto em 2010, no qual dividiu o palco com o músico e compositor Rai Medrado e com os músicos Beto Lopes (Baixo), André “Limão” Queiroz (Bateria) e Leonardo Brasilino (Trombone), mostrando também que dialoga com os instrumentistas jazzísticos mineiros. Participou de vários projetos como o Conexão Vivo (Convidando Marco Matolli – Clube do Balanço-SP), realizou uma temporada no “Samba do bem” – Lapa Multshow (sendo um dos primeiros artistas a resgatar “as gafieiras” em BH), além de “O samba bate outra vez”, realizado pela Rádio Inconfidência, no qual já se apresentou varias vezes convidando uma série de artistas, como a cantora cubana Tereza Morales e o instrumentista Warley Henrique e outros.

Em 2011, Gustavo Maguá lançou seu primeiro CD “Vol. 1” com as participações de seus parceiros Flávio Renegado e Thiago Dibeto, que fazem os duetos existentes em seu CD.

Participa ativamente do carnaval de BH, como compositor de marchinhas (Baile do Pó Royal, Selfolia entre outras) e compõe vários blocos, como o da sua parceira Aline Calixto, aonde é puxador junto com a cantora.

Em 2014 se apresentou regularmente em São Paulo onde foi recebido de braços abertos pela turma do “Samba Rock”. No Rio tambem se apresentou regularmente na Lapa carioca. Em BH criou o projeto “Gustavo Maguá convida” onde se apresenta uma vez por mês convidando artistas de varias partes do Brasil. Já passaram por lá nomes como Sandra de Sá, Vander lee, Aline Calixto, Flávio Renegado, Edu Krieger, Cubanito e outros.

Na sua adolescência, foi influenciado pelo pop, rock e então começou a tocar violão. Mais tarde, de volta ao samba, frequentou inúmeras rodas, principalmente no Morro das Pedras (comunidade inserida em seu bairro – Nova Granada), onde Maguá aprendeu na prática o feliz ofício de tocar o principal ritmo brasileiro. Nos anos de 2001 e 2002, participou de um dos mais expressivos projetos sociais ligados à música em Belo Horizonte, o Arautos do Gueto. A partir daí que suas influências foram se misturando montando uma miscelânea de ritmos tendo o samba como direção.

Em Outubro de 2010, Maguá se apresentou no grande teatro do Palácio das Artes, no show da sambista e parceira Aline Calixto, convidando Martinho da Vila.

Já se apresentou em vários festivais de inverno, destaque para o de Ouro Preto em 2010, no qual dividiu o palco com o músico e compositor Rai Medrado e com os músicos Beto Lopes (Baixo), André “Limão” Queiroz (Bateria) e Leonardo Brasilino (Trombone), mostrando também que dialoga com os instrumentistas jazzísticos mineiros. Participou de vários projetos como o Conexão Vivo (Convidando Marco Matolli – Clube do Balanço-SP), realizou uma temporada no “Samba do bem” – Lapa Multshow (sendo um dos primeiros artistas a resgatar “as gafieiras” em BH), além de “O samba bate outra vez”, realizado pela Rádio Inconfidência, no qual já se apresentou varias vezes convidando uma série de artistas, como a cantora cubana Tereza Morales e o instrumentista Warley Henrique e outros.

Em 2011, Gustavo Maguá lançou seu primeiro CD “Vol. 1” com as participações de seus parceiros Flávio Renegado e Thiago Dibeto, que fazem os duetos existentes em seu CD.

Participa ativamente do carnaval de BH, como compositor de marchinhas (Baile do Pó Royal, Selfolia entre outras) e compõe vários blocos, como o da sua parceira Aline Calixto, aonde é puxador junto com a cantora.

Em 2014 se apresentou regularmente em São Paulo onde foi recebido de braços abertos pela turma do “Samba Rock”. No Rio tambem se apresentou regularmente na Lapa carioca. Em BH criou o projeto “Gustavo Maguá convida” onde se apresenta uma vez por mês convidando artistas de varias partes do Brasil. Já passaram por lá nomes como Sandra de Sá, Vander lee, Aline Calixto, Flávio Renegado, Edu Krieger, Cubanito e outros.

Vídeo
" frameborder="0" allowfullscreen>
Bibliografia

http://dicionariompb.com.br/

http://www.memoriamusical.com.br/

http://www.mis.rj.gov.br/

http://www.discotecapublica.com.br/

https://acervosmusicais.wordpress.com/

http://acervocompositores.art.br/

http://www.violaobrasileiro.com.br/

http://jornalggn.com.br/blogs/laura-macedo

http://www.otempo.com.br/hotsites/concha

http://musicosdobrasil.com.br/dissertacoes.jsf

ALBIN, Ricardo Cravo. MPB: A História de um século. Rio de Janeiro: Funarte, 1997.

AMARAL, Euclides. Alguns Aspectos da MPB. Rio de Janeiro: Edição do Autor, 2008. 2ª ed. Esteio editora, 2010. 3ª ed. EAS Editora, 2014.

AZEVEDO, M. A . de (NIREZ) et al. Discografia brasileira em 78 rpm. Rio de Janeiro: Funarte, 1982.

CABRAL, Sérgio. No tempo de Ary Barroso. Rio de Janeiro: Lumiar, 1993.

CARDOSO, Sylvio Tullio. Dicionário Biográfico da música Popular. Rio de Janeiro: Edição do autor, 1965.

EFEGÊ, Jota. Figuras e coisas da Música Popular Brasileira. Rio de Janeiro: MEC/Funarte, 1978.

EPAMINONDAS, Antônio. Brasil brasileirinho. Rio de Janeiro: Instituto Nacional do Livro,1982.

História da Música Popular Brasileira. São Paulo: Editora Abril, 1982.

LUNA, Paulo – No compasso da bola. Rio de Janeiro, Irmãos Vitale, 2011.

MARCONDES, Marcos Antônio. (ED). Enciclopédia da Música popular brasileira: erudita, folclórica e popular. 2. ed. São Paulo: Art Editora/Publifolha, 1999.

MARIZ, Vasco. A canção brasileira. Rio de Janeiro: Francisco Alves, 2000.

MORAES, Mário de. Recordações de Ary Barroso. Rio de Janeiro: MEC/FUNARTE,1979.

REPPOLHO. Dicionário Ilustrado de Ritmos & Instrumentos de Percussão. Rio de Janeiro: GJS Editora, 2012. 2ª ed. Idem, 2013.

SEVERIANO, Jairo e MELLO, Zuza Homem de. A canção no tempo. Volume 1. São Paulo: 34, 1997.

TINHORÃO, José Ramos. Música popular – teatro e cinema. Rio de Janeiro: Vozes, 1972.

VASCONCELOS, Ary. Panorama da Música Popular Brasileira. Vol. 2. Rio de Janeiro: Martins, 1965.