Nossos Músicos

Acervo em constante construção.
Jota Quest

Jota Quest

Instrumentista, Cantor, Compositor Natural de Belo Horizonte Nasceu em Gênero musical: Rock, outro
Biografia

Grupo formado por Rogério Flausino (voz), Marco Túlio Lara (violão e guitarra), P.J (baixo e teclados), Paulinho Fonseca (bateria) e Marcio Buzelin (teclados) na cidade de Belo Horizonte, em Minas Gerais.

Dados Artistícos

Em 1995 lançou de forma independente o primeiro CD. No ano seguinte, contratado pela gravadora Sony Music, o grupo lançou o CD “J. Quest”, disco no qual contou com a participação especial de Tony Tornado na faixa “Há quanto tempo” (Wilsinho Oliveira e J. Quest). Ainda desse disco destacaram-se as faixas “Rapidamente” (Wilsinho Oliveira e Paulinho Fonseca), “Encontrar alguém” (Rogério Flausino e Marco Túlio), “À tarde” (Márcio Buzelin), “Vou por aí” (Dudu Marote e Marco Túlio Lara) e ainda as regravações de “As dores do mundo” (Hyldon) e “Dance enquanto é tempo”, de autoria de Tim Maia.

No ano de 1998 com o nome alterado para Jota Quest – em decorrência de ações judiciais do grupo norte-americano de filmes de animação Hanna-Barbera, detentores da marca J. QUEST (Johnny Quest), desenho animado da década de 1960 -, a banda lançou o CD “Jota Quest”, tendo como música de sucesso “Fácil” (Rogério Flausino e Wilsinho Sideral). No CD foram incluídas as composições “De volta ao planeta” (Marco Túlio, PJ e Rogério Flausino), “Qualquer dia desses” (Willian e Steverson: Versão: Marco Túlio, PJ, Dudu Marote, Wilsinho Sideral e Rogério Flausino), “35” (Heleno Loyola) e “Tudo é você” (Marco Túlio e Paulinho Fonseca), além da regravação de “Tão bem”, de Lulu Santos. O CD “De volta ao planeta” chegou à marca de 800 mil cópias vendidas.

Em 1999, o grupo se apresentou na casa de espetáculos carioca Metropolitan, com Os Paralamas do Sucesso e Raimundos, em show promovido pela Rádio Cidade FM, eleitos por seus ouvintes como os três melhores grupos do ano. Por essa época, o grupo trabalhou em várias campanhas publicitárias da Fanta, que, segundo Rogério Faustino, permitiu a banda comprar equipamento de iluminação, ônibus e caminhão. Em 2000, lançou o CD “Oxigênio”, que acumulou 500.000 cópias vendidas. O show de lançamento foi no Canecão, no Rio de Janeiro.

Em 2002 lançou o CD “Discotecagem pop variada”, destacando-se as faixas “Na moral” de autoria de Wilson Sideral e ainda “Só hoje”. O nome do CD foi inspirado em uma faixa  afixada em um bar na Rua Cardeal Arcoverde, no bairro de Pinheiros, em São Paulo. O disco ainda contou com a participação especial de Seu Jorge (ex-Farofa Carioca) e Arnaldo Antunes na faixa “Tanto faz”. Neste mesmo ano, a faixa “Na moral” teve o clipe indicado para o prêmio “Vídeo Music Brasil 2002 MTV”, na categoria “Pop”.

Em 2003 o grupo, ao lado de Lulu Santos, Natiruts, Tribo de Jah, Cidade Negra, L.S. Jack, O Rappa, Titãs e  Skank, foi uma das atrações do “Pop Festival Telefônica Tim” apresentado na Sociedade Hípica do Rio de Janeiro. Neste mesmo ano ao lado de Ivete Sangalo, O Rappa, Harmonia do Samba, Banda Olodum e Banda Cheiro de Amor, participou do evento “Cabofolia”, promovido pela Prefeitura de Cabo Frio na Praia do Forte. Na ocasião, fez show de lançamento do disco “Discotecagem pop variada”. Ainda em 2003, lançou o primeiro CD e DVD ao vivo, “Jota Quest – MTV ao vivo”, gravado na Praça do Papa, em Belo Horizonte. No CD foram incluídas “Vou pra aí”, “As dores do mundo” (Hyldon), “Tudo é você”, “Por mim e por você” (com participação do rapper Thaíde) e “Só hoje”, “Amor maior” (inédita) e “Tanto faz”, esta última com a participação de Arnaldo Antunes. Poucos meses após o lançamento o CD atingiu a vendagem de 100 mil cópias e o DVD chegou à marca de 56 mil cópias.

Em 2004 fez o show “MTV ao vivo” no Pier da Praça Mauá e saiu em turnê nacional de divulgação do novo CD. Neste mesmo ano o DVD “Jota Quest – MTV ao vivo” ganhou prêmio na categoria no “11º Prêmio Multishow de Música”.

Em 2005 a composição “Amor maior”, música de trabalho do grupo, alcançou, segundo o ECAD (Escritório Central de Arrecadação e Distribuição de Direito Autoral), o primeiro lugar como a música mais executada nos primeiros meses do ano. Apresentou-se no Claro Hall, uma das maiores casas de show do Rio de Janeiro.

No ano de 2011 o grupo foi uma das atrações do “Rock In Rio IV”, apresentando-se com grande sucesso de público e crítica no principal espaço do festival, o Palco Mundo.

Em 2012 a banda lançou CD e DVD intitulados

“Multishow Ao Vivo: Jota Quest – Folia&Caos” em show no espaço Fundição Progresso, na Lapa, centro do Rio de Janeiro. O show foi o início da turnê nacional em comemoração aos 15 anos do grupo. O DVD contou com as participações especiais de Maria Gadú em “Mais uma vez”; Moska em “Quantas vidas você tem?” e de Falcão (da banda carioca O Rappa) na faixa “Me deixa”, todas as três composições consideradas sucessos e clássicos do repertório da banda.

No ano de 2013 lançou, no Circo Voador (na Lapa, centro do Rio de Janeiro) o CD “Funk funk boom boom”, seu sétimo disco de estúdio, no qual foram incluídas as composições “Mandou bem”, “Imperfeito”, “Entre sem bater”, “Toxina voyeur”, “Jota Quest convidou”, “É de coração”, “Dentro de um abraço”, “Ela é do Rio”, “Reggae town” e “Realinhar”. No disco o grupo contou com as participações especiais de Seu Jorge, Wilson Sideral (irmão de Rogério Flausino) e Pretinho da Serrinha, além de vários parceiros novos nas composições das faixas, tais como Xande de Pilares, Seu Jorge, Pretinho da Serrinha, Wilson Sideral, Gabriel Moura e Leandro Fab.

Em 2015 lançou, pelo selo Sony Music, o CD “Pancadélico”, cuja capa foi feita exclusivamente pela dupla Os Gêmeos. Produzido por Jerry Barnes, o disco incluiu inéditas como “A vida não tá fácil pra ninguém” (PJ, Jerry Barnes, Rogério Flausino, Nile Rogers e Arnaldo Antunes), “Blecaute” (Marcio Buzelin, Jerry Barnes, Wilson Sideral, Rogério Flausino e Nile Rodges), “Sexo e paixão” (Marco Túlio Lara, Rogério Flausino, Jerry Barnes e Mista Raja), “Beijos em Paris” (Marco Túlio Lara, Jerry Barnes, Wilson Sideral e Rogério Flausino), entre outras.

Em 2016 lançou o EP “Blecaute – Remix”, com cinco remixes da música homônima que preservam a voz da cantora Anitta e a guitarra de Nile Rodgers da gravação original.

 

Obra
  • • À tarde (Márcio Buzelin)
  • • Always be all rigth (Rogério Flausino e Marco Túlio)
  • • De volta ao planeta (freak funk mix) (Marco Túlio, PJ e Rogério Flausino)
  • • Encontrar alguém (Rogério Flausino e Marco Túlio)
  • • Fácil (Rogério Flausino e Wilsinho Sideral)
  • • Há quanto tempo (Wilsinho Oliveira e Jota Quest)
  • • Loucas tardes de domingo (Rogério Flausino)
  • • My brother (Rogério Flausino, Marco Túlio e Márcio Buzelin)
  • • Nega da hora (Márcio Buzelin e PJ)
  • • O vento (Márcio Buzelin)
  • • Onibusfobia (Dudu Marote e Jota Quest)
  • • Qualquer dia desses (Willian e Steverson. Versão: Dudu Marote, PJ, Marco Túlio, Wilsinho Sideral e Rogério Flausino)
  • • Rapidamente (Wilsinho Oliveira e Paulinho Fonseca)
  • • Sem sentido (Eduardo Garcia, Marco Aurélio, Paulo Diniz e Paulinho Fonseca)
  • • Sempre assim (Marco Túlio e Rogério Flausino)
  • • Tudo é você (Marco Túlio e Paulinho Fonseca)
  • • Vício (Márcio Buzelin)
  • • Vou por aí (Dudu Marote e Marco Túlio Lara)
Discografia
  • • (1996) J. Quest • Sony Music • CD
  • • (1998) De volta ao planeta • Sony Music • CD
  • • (2000) Oxigênio • Sony Music • CD
  • • (2002) Discotecagem pop variada • Sony Music • CD
  • • (2003) Jota Quest - MTV ao vivo • Sony Music
  • • (2012) Multishow Ao Vivo: Jota Quest - Folia&Caos; • DVD
  • • (2012) Multishow Ao Vivo: Jota Quest - Folia&Caos; • CD
  • • (2013) Funk funk boom boom • Sony Music • CD
  • • (2015) Pancadélico • Sony Music • CD
  • • (2016) Blecaute – Remix • Sony Music
Bibliografia

http://dicionariompb.com.br/

http://www.memoriamusical.com.br/

http://www.mis.rj.gov.br/

http://www.discotecapublica.com.br/

https://acervosmusicais.wordpress.com/

http://acervocompositores.art.br/

http://www.violaobrasileiro.com.br/

http://jornalggn.com.br/blogs/laura-macedo

http://www.otempo.com.br/hotsites/concha

http://musicosdobrasil.com.br/dissertacoes.jsf

ALBIN, Ricardo Cravo. MPB: A História de um século. Rio de Janeiro: Funarte, 1997.

AMARAL, Euclides. Alguns Aspectos da MPB. Rio de Janeiro: Edição do Autor, 2008. 2ª ed. Esteio editora, 2010. 3ª ed. EAS Editora, 2014.

AZEVEDO, M. A . de (NIREZ) et al. Discografia brasileira em 78 rpm. Rio de Janeiro: Funarte, 1982.

CABRAL, Sérgio. No tempo de Ary Barroso. Rio de Janeiro: Lumiar, 1993.

CARDOSO, Sylvio Tullio. Dicionário Biográfico da música Popular. Rio de Janeiro: Edição do autor, 1965.

EFEGÊ, Jota. Figuras e coisas da Música Popular Brasileira. Rio de Janeiro: MEC/Funarte, 1978.

EPAMINONDAS, Antônio. Brasil brasileirinho. Rio de Janeiro: Instituto Nacional do Livro,1982.

História da Música Popular Brasileira. São Paulo: Editora Abril, 1982.

LUNA, Paulo – No compasso da bola. Rio de Janeiro, Irmãos Vitale, 2011.

MARCONDES, Marcos Antônio. (ED). Enciclopédia da Música popular brasileira: erudita, folclórica e popular. 2. ed. São Paulo: Art Editora/Publifolha, 1999.

MARIZ, Vasco. A canção brasileira. Rio de Janeiro: Francisco Alves, 2000.

MORAES, Mário de. Recordações de Ary Barroso. Rio de Janeiro: MEC/FUNARTE,1979.

REPPOLHO. Dicionário Ilustrado de Ritmos & Instrumentos de Percussão. Rio de Janeiro: GJS Editora, 2012. 2ª ed. Idem, 2013.

SEVERIANO, Jairo e MELLO, Zuza Homem de. A canção no tempo. Volume 1. São Paulo: 34, 1997.

TINHORÃO, José Ramos. Música popular – teatro e cinema. Rio de Janeiro: Vozes, 1972.

VASCONCELOS, Ary. Panorama da Música Popular Brasileira. Vol. 2. Rio de Janeiro: Martins, 1965.