Nossos Músicos

Acervo em constante construção.
Joubert de Carvalho

Joubert de Carvalho

Compositor Natural de Uberaba Nasceu em 6 de março de 1900 Falecido em 20 de setembro de 1977 Gênero musical: Música popular brasileira
Biografia

Joubert Gontijo de Carvalho
Segundo dos 10 filhos do fazendeiro e comerciante de gado Tobias de Carvalho e de Francisca Gontijo de Carvalho. Quando tinha nove anos de idade, seu pai comprou um piano, no qual passou a tocar de ouvido os dobrados que ouvia na banda local. Aos 13 anos de idade, transferiu-se com a família para São Paulo, ingressando no Ginásio São Bento. Neste ano, compõe sua primeira obra, a valsa “Cruz vermelha”, inspirada no hospital infantil do mesmo nome, que havia na cidade. Seu pai mandou imprimir 500 exemplares da melodia, para serem vendidos em benefício do hospital. O sucesso alcançado pela música, fez com que compusesse outras peças, que entregava à Casa Editora Compassi e Camim – de onde saíram os Irmãos Vitale. O editor passou a lhe encomendar músicas e ele as entregava em troca de 200 exemplares para distribuir aos amigos. Dessa maneira, foram publicadas, entre 1914 e 1918, umas 20 composições, na maioria tangos.

Concluiu, em 1919, o curso secundário, transferindo-se em 1920 para o Rio de Janeiro, onde cursou a Faculdade de Medicina. De férias em Avaré, após o primeiro ano de faculdade, conheceu o famoso violonista Canhoto (Américo Jacomino), convidando-o a vir para a fazenda onde estava hospedado. Compunha, e Canhoto executava as novas peças ao violão. Na volta a São Paulo, o editor lhe pediu novas composições, dispondo-se a pagar por cada nova música. Comprometeu-se a entregar duas músicas por mês, para uma tiragem de 100 exemplares, o que lhe possibilitou uma vida de estudante bastante confortável. Na faculdade tinha como colega o sanitarista Osvaldo Cruz, cuja casa freqüentava. Formou-se em 1925, defendendo a tese “Sopros musicais do coração”, em que analisava as vibrações das válvulas cardíacas, produzindo sons, na passagem do sangue. Em 1927, casou-se com Elza de Faria Carvalho, com quem teve um filho. Em 1932, foi nomeado médico do Instituto dos Marítimos no Rio de Janeiro, onde foi chefe dos ambulatórios, chefe de clínica médica, e chefe de relações públicas, prosseguindo sempre com sua carreira de compositor. Foi fundador da Sbacem, tendo sido tesoureiro e, posteriormente, conselheiro. Participou do Conselho Federal da Ordem dos Músicos, exercendo uma atividade ininterrupta nessa área.

Dados Artistícos

Segundo dos 10 filhos do fazendeiro e comerciante de gado Tobias de Carvalho e de Francisca Gontijo de Carvalho. Quando tinha nove anos de idade, seu pai comprou um piano, no qual passou a tocar de ouvido os dobrados que ouvia na banda local. Aos 13 anos de idade, transferiu-se com a família para São Paulo, ingressando no Ginásio São Bento. Neste ano, compõe sua primeira obra, a valsa “Cruz vermelha”, inspirada no hospital infantil do mesmo nome, que havia na cidade. Seu pai mandou imprimir 500 exemplares da melodia, para serem vendidos em benefício do hospital. O sucesso alcançado pela música, fez com que compusesse outras peças, que entregava à Casa Editora Compassi e Camim – de onde saíram os Irmãos Vitale. O editor passou a lhe encomendar músicas e ele as entregava em troca de 200 exemplares para distribuir aos amigos. Dessa maneira, foram publicadas, entre 1914 e 1918, umas 20 composições, na maioria tangos.

Concluiu, em 1919, o curso secundário, transferindo-se em 1920 para o Rio de Janeiro, onde cursou a Faculdade de Medicina. De férias em Avaré, após o primeiro ano de faculdade, conheceu o famoso violonista Canhoto (Américo Jacomino), convidando-o a vir para a fazenda onde estava hospedado. Compunha, e Canhoto executava as novas peças ao violão. Na volta a São Paulo, o editor lhe pediu novas composições, dispondo-se a pagar por cada nova música. Comprometeu-se a entregar duas músicas por mês, para uma tiragem de 100 exemplares, o que lhe possibilitou uma vida de estudante bastante confortável. Na faculdade tinha como colega o sanitarista Osvaldo Cruz, cuja casa freqüentava. Formou-se em 1925, defendendo a tese “Sopros musicais do coração”, em que analisava as vibrações das válvulas cardíacas, produzindo sons, na passagem do sangue. Em 1927, casou-se com Elza de Faria Carvalho, com quem teve um filho. Em 1932, foi nomeado médico do Instituto dos Marítimos no Rio de Janeiro, onde foi chefe dos ambulatórios, chefe de clínica médica, e chefe de relações públicas, prosseguindo sempre com sua carreira de compositor. Foi fundador da Sbacem, tendo sido tesoureiro e, posteriormente, conselheiro. Participou do Conselho Federal da Ordem dos Músicos, exercendo uma atividade ininterrupta nessa área.

Obra
  • • A canção vesperal (c/ Lopes e Miguel)
  • • A carícia de tuas mãos (c/ Olegário Mariano)
  • • A carícia de um beijo (c/ Olegário Mariano)
  • • A casinha do meu bem
  • • A cidade que nasceu de uma canção
  • • A doce palidez de Maria (c/ A. de Freitas)
  • • A flor e a vida (c/ Ieda Fonseca)
  • • A glória de São Paulo
  • • A lenda das rosas vermelhas (c/ M. Fontes)
  • • A nova Itália
  • • A vida é sempre a mesma coisa
  • • A vida é um sonho
  • • A vida por um beijo
  • • Absolutamente (c/ Olegário Mariano)
  • • Adeus, adeus, eu vou-me embora
  • • Adormecer pra sonhar (c/ L. Carlos)
  • • Agonia
  • • Ainda hei de te beijar
  • • Além da vida
  • • Alma sertaneja
  • • Alvi-rubro
  • • Amor, amor
  • • Amor, brinquedo de criança (c/ Olegário Mariano)
  • • Apenas um instante
  • • Apresse o passo
  • • Aquele cantinho
  • • Arlequim (c/ Fortes Malta)
  • • Arrepiado (c/ Sadi Fonseca)
  • • As valentinas
  • • Avante, companheiros
  • • Aventureiro (c/ Zirlá)
  • • Baía da Guanabara
  • • Beduíno (c/ Olegário Mariano)
  • • Bichinho
  • • Bigodinho
  • • Boca bonita (c/ Narbal F. )
  • • Boca pintada
  • • Bom-dia, meu amor (c/ Olegário Mariano)
  • • Brazilian Night
  • • C'êst toi, l'amour (c/ Maria Eugênia Celso)
  • • Cabecinha de vento
  • • Caboclinho (c/ Olegário Mariano)
  • • Caboco do junco
  • • Caboquinha
  • • Cadeirinha, sambinha (c/ M. Fontes)
  • • Cai, cai, balão (c/ Olegário Mariano)
  • • Caminho da roça
  • • Canarinho
  • • Canção das águas
  • • Canção de aniversário
  • • Canção do abandono (c/ Oleário Mariano)
  • • Canção do estudante (c/ Ana Amélia C. de Mendonça)
  • • Canção dos mares (c/ Sadi Fonseca)
  • • Cantigas da minha terra
  • • Castelo de luar
  • • Cinco de Janeiro
  • • Coco pelado (c/ Sadi Fonseca)
  • • Coisas de amor
  • • Coisinha boa, melhor que há no mundo
  • • Com o pensamento em você
  • • Comme autrefois (com I. Ferreira)
  • • Conchinhas do mar (c/ Sadi Fonseca)
  • • Dá-se um jeitinho
  • • De madrugada (c/ Catulo da Paixão Cearense)
  • • De papo pro á (c/ Olegário Mariano)
  • • Deixa-me beber
  • • Deixa-me fitar os teus olhos
  • • Départ (c/ R. Gerard)
  • • Desalento
  • • Desde sempre (c/ Mário Rossi)
  • • Desquitada (c/ Urbano Lóis)
  • • Devolve os meus beijos
  • • Dia feliz
  • • Dor (c/ Cleómenes Campos)
  • • Dor de recordar (c/ Olegário Mariano)
  • • É carinho que falta
  • • É com você que eu queria
  • • É de trampolim
  • • Em pleno luar
  • • Encanto de mulher (c/ Zirlá)
  • • Entre nós dois
  • • Escravo
  • • Escrita errada
  • • Esta noite não
  • • Esta vida é muito engraçada
  • • Estilizada
  • • Eta caboclo mau (c/ Luís Martins)
  • • Eu gosto de você
  • • Eu quero te dar um beijo
  • • Eu sou do barulho
  • • Eu tinha um beijo para a sua boca (c/ Olegário Mariano)
  • • Eu vou dizer
  • • Felicidade (c/ Olegário Mariano)
  • • Felicidade... e nada mais
  • • Felicidade... é quase nada (c/ Gilberto de Andrade)
  • • Festa de formatura
  • • Ficou um beijo em minha boca
  • • Flamboyant
  • • Flor de esperança
  • • Flor que ninguém colheu
  • • Florista
  • • Fogos de São João (c/ J. Távora)
  • • Fogueira
  • • Foi ele... foi ela (c/ Paulo Roberto)
  • • Foi num dia de São João
  • • Foi você mesmo
  • • Fragrância (c/ Mário Rossi)
  • • Fui eu o seu primeiro amor
  • • Gaiato
  • • Galanteria (c/ Olegário Mariano)
  • • Garota errada (c/ Luís Martins)
  • • Gostar de alguém (c/ Criso Fontes)
  • • Gostinho diferente
  • • Gostoso
  • • Granada
  • • Guanabara
  • • Há nos teus olhos... um luar
  • • Hino ao presidente
  • • Hino aos heróis de Copacabana
  • • História de toda a gente
  • • História de uma flor
  • • Hora de despedida
  • • Horas de amor (c/ Osvaldo Orico)
  • • Hula (c/ Olegário Mariano)
  • • Jaquetão (c/ Zael)
  • • Jaremoabo
  • • Jesus
  • • João Capeta
  • • Juriti
  • • Kalatan
  • • La lampe (c/ J. Ferreira)
  • • Lágrimas de pierrot
  • • Lembro-me ainda
  • • Lenita
  • • Lição de Cristo
  • • Lindos olhos
  • • Lira quebrada
  • • Loiras e morenas (c/ Olegário Mariano)
  • • Lulabai
  • • Luxo asiático
  • • Mais uma vez
  • • Mal-aventurado
  • • Mamãe Dolores
  • • Mande um beijo
  • • Manequinho
  • • Mãos de neve
  • • Marcha da vitória
  • • Marcha das bandeiras
  • • Maria, Maria
  • • Mariblanca (c/ Luis de Gôngora)
  • • Marilena
  • • Maringá (c/ Olegário Mariano)
  • • Melhor amor
  • • Meu amor chegou
  • • Meu amor, meu amor
  • • Meu brotinho
  • • Migalhas de amor
  • • Minha casa
  • • Moleque sarará (c/ Murilo Fontes)
  • • Momento de amor
  • • Monte Carlo
  • • Morena (c/ S. Dalva)
  • • Moreninha brasileira (c/ Olegário Mariano)
  • • Mundo afora
  • • N'aimez que moi (c/ Maria Eugênia Celso)
  • • Não direi
  • • Não me abandones nunca
  • • Não me perguntes
  • • Não sou pamonha
  • • Napoleão
  • • Neguinha
  • • Neguinho
  • • Nhá Maria
  • • Ninguém esquece...
  • • Ninguém tem um amor igual ao meu
  • • No país do sol
  • • No tempo da valsa
  • • Noite de estrelas
  • • Noivos
  • • Nunca soubestes amar
  • • Núpcias (c/ Duque Abramonte)
  • • O amor e o sol
  • • O caçador de esmeraldas
  • • O carinho de meu bem
  • • O galo preto (c/ Zael)
  • • O garoto
  • • O gatinho
  • • O índio do Corcovado (c/ Luís Martins)
  • • O jacaré
  • • O pardal
  • • O primeiro beijo (c/ Duque Abramonte)
  • • O príncipe
  • • O professor (c/ Jorge Ribeiro)
  • • O Rio é Carnaval
  • • O silêncio do cantor (c/ David Nasser)
  • • O tempo que ficou
  • • Olá...
  • • Olha-me bem nos olhos (c/ Adelmar Tavares)
  • • Olhos tristes, os teus (c/ Osvaldo Santiago)
  • • Oração
  • • Os dois caminhos
  • • Os filhos da Candinha
  • • Os olhos de Maria (c/ Duque Abramonte)
  • • Os teus olhos
  • • Os teus olhos me falam de amor
  • • Para o amor (c/ Gastão Penalva)
  • • Paris
  • • Paris, Paris
  • • Pé-de-moleque
  • • Pecado
  • • Pelo teu pecado
  • • Perto da lareira
  • • Pierrô (c/ Pascoal Carlos Magno)
  • • Pobrezinho
  • • Polquinha sapeca
  • • Por quanto tempo ainda...
  • • Por que choro (c/ Luis de Gôngora)
  • • Pra você gostar de mim (Taí)
  • • Pressentimento
  • • Princesa
  • • Prisioneiro do teu amor
  • • Procurando você entre rosas (c/ Osvaldo Orico)
  • • Quando a saudade vem chegando
  • • Quando cantas
  • • Quando eu partir
  • • Quando se vai o amor (c/ T. Malta)
  • • Quando voltares um dia
  • • Quando, pela primeira vez
  • • Que bom que estava
  • • Que m'importa (c/ Célia Benatti)
  • • Quero ficar mais um pouquinho
  • • Quero ver você chorar
  • • Quimono
  • • Quisera uma noite assim
  • • Redenção
  • • Relíquia
  • • Reminiscência (c/ R. C. Lisboa)
  • • Renúncia (c/ Olegário Mariano)
  • • Revelação
  • • Rio de Janeiro
  • • Rosí
  • • Sabe o lá o que é isso
  • • Sabiá mimoso
  • • Saci-pererê
  • • Sai da toca, Brasil
  • • Salamaquita
  • • Sapatinho da vida
  • • Saudade (c/ C. Fontes)
  • • Saudade danada
  • • Se ela te oferecer um grande amor (c/ Osvaldo Orico)
  • • Se não me tens amor
  • • Se um dia pudesse (c/ Gilberto A
  • • Se voce quer (c/ Olegário Mariano)
  • • Se voltares um dia
  • • Sol na estrada (c/ I. Maria)
  • • Sombrinha azul
  • • Sonhos mortos
  • • Sossega o teu corpo, sossega
  • • Sussu
  • • Tabuada (c/ Adelmar Tavares)
  • • Tango venenoso (c/ Zirlá)
  • • Tarde dourada (c/ Ana Amelia C. de Mendonça)
  • • Tem gente aí
  • • Terra morena
  • • Tes yeux
  • • Teu retrato
  • • Teus olhos... o outono (c/ J. Távora)
  • • Traição
  • • Tropical
  • • Trovas de amor (c/ Luiz Gonzaga)
  • • Tutu marambá (c/ Olegário Mariano)
  • • Um grande amor
  • • Um pouquinho de amor
  • • Um sorriso e um olhar
  • • Uma canção para os teus olhos
  • • Uma vezinha só
  • • Vai recolher
  • • Valsa do Rio (c/ Osvaldo Orico)
  • • Vamos caçar passarinho
  • • Vem aos meus braços
  • • Vem meu benzinho
  • • Venenoso
  • • Vestidinho novo
  • • Vieni a me
  • • Vira a casaca
  • • Visão de outro amor
  • • Viva Jaú
  • • Viva o coronel
  • • Viva São Paulo
  • • Viver para o amor... só nós dois
  • • Você veio sonhando para mim (c/ Martins Capristano)
  • • Volta para mim, Jesus
  • • Volta para o meu amor (c/ Tostes Malta)
  • • Voltei, voltei
  • • Vontade... de querer
  • • Vou recolher
  • • Zezé
  • • Zíngara (c/ Olegário Mariano)
Bibliografia

http://dicionariompb.com.br/

http://www.memoriamusical.com.br/

http://www.mis.rj.gov.br/

http://www.discotecapublica.com.br/

https://acervosmusicais.wordpress.com/

http://acervocompositores.art.br/

http://www.violaobrasileiro.com.br/

http://jornalggn.com.br/blogs/laura-macedo

http://www.otempo.com.br/hotsites/concha

http://musicosdobrasil.com.br/dissertacoes.jsf

ALBIN, Ricardo Cravo. MPB: A História de um século. Rio de Janeiro: Funarte, 1997.

AMARAL, Euclides. Alguns Aspectos da MPB. Rio de Janeiro: Edição do Autor, 2008. 2ª ed. Esteio editora, 2010. 3ª ed. EAS Editora, 2014.

AZEVEDO, M. A . de (NIREZ) et al. Discografia brasileira em 78 rpm. Rio de Janeiro: Funarte, 1982.

CABRAL, Sérgio. No tempo de Ary Barroso. Rio de Janeiro: Lumiar, 1993.

CARDOSO, Sylvio Tullio. Dicionário Biográfico da música Popular. Rio de Janeiro: Edição do autor, 1965.

EFEGÊ, Jota. Figuras e coisas da Música Popular Brasileira. Rio de Janeiro: MEC/Funarte, 1978.

EPAMINONDAS, Antônio. Brasil brasileirinho. Rio de Janeiro: Instituto Nacional do Livro,1982.

História da Música Popular Brasileira. São Paulo: Editora Abril, 1982.

LUNA, Paulo – No compasso da bola. Rio de Janeiro, Irmãos Vitale, 2011.

MARCONDES, Marcos Antônio. (ED). Enciclopédia da Música popular brasileira: erudita, folclórica e popular. 2. ed. São Paulo: Art Editora/Publifolha, 1999.

MARIZ, Vasco. A canção brasileira. Rio de Janeiro: Francisco Alves, 2000.

MORAES, Mário de. Recordações de Ary Barroso. Rio de Janeiro: MEC/FUNARTE,1979.

REPPOLHO. Dicionário Ilustrado de Ritmos & Instrumentos de Percussão. Rio de Janeiro: GJS Editora, 2012. 2ª ed. Idem, 2013.

SEVERIANO, Jairo e MELLO, Zuza Homem de. A canção no tempo. Volume 1. São Paulo: 34, 1997.

TINHORÃO, José Ramos. Música popular – teatro e cinema. Rio de Janeiro: Vozes, 1972.

VASCONCELOS, Ary. Panorama da Música Popular Brasileira. Vol. 2. Rio de Janeiro: Martins, 1965.