Nossos Músicos

Acervo em constante construção.
Kiko Continentino

Kiko Continentino

Instrumentista, Arranjador Natural de Belo Horizonte Nasceu em 31 de julho de 1969 Gênero musical: Música popular brasileira, outro
Biografia

Instrumentista. Arranjador. Produtor musical.

Filho do pianista Mauro Continentino. Irmão dos músicos Jorge Continentino e Alberto Continentino. Começou seu aprendizado de piano aos nove anos de idade com seu pai, Mauro Continentino.

Dados Artistícos

Iniciou sua carreira artística aos 15 anos, apresentando-se no Pianíssimo Studio Bar, em Belo Horizonte (MG). Três anos depois, mudou-se para o Rio de Janeiro, fixando residência em Niterói. 

Em 1994, participou do Hollywood Rock (RJ), com a cantora Fernanda Abreu. 

Esteve com Djavan em turnês pela Europa, apresentando-se em festivais de jazz. Participou da gravação de duas faixas do songbook desse artista, como produtor e instrumentista, atuando ao lado de Claudio Zolli e do grupo Be Happy. 

Trabalhou como músico e arranjador no Prêmio Sharp que homenageou Gilberto Gil, acompanhando Jorge Benjor, Nana Caymmi, Dione Warwick, Elba Ramalho e Dominguinhos. 

Atuou em shows e na gravação do CD de Zé Ricardo, tendo produzido com esse artista uma música para o especial “Criança esperança” (TV Globo), em 1995. 

Em 1997, gravou o especial de Milton Nascimento, “A sede do peixe”, produzido pela Conspiração Filmes para a HBO, atuando com o cantor e convidados como Alaíde Costa, Gilberto Gil, Alcione e Zélia Duncan. 

Ao longo de sua carreira, acompanhou em shows e gravações diversos artistas, como Djavan, Emílio Santiago, Claudio Zolli, Pepeu Gomes, Edu Lobo, Chico Buarque, Os Cariocas, Vanda Sá, Roberto Menescal, MPB-4, Quarteto em Cy, Dalto, Paulinho Moska e Fito Paes, entre outros. 

Atuou também em trabalhos instrumentais com Arthur Maia, Chico Batera, Robertinho Brandt, Cláudio Infante, Nivaldo Ornellas, Vitor Biglione, Raul Mascarenhas e Robertinho Silva, entre outros. 

Faz parte da banda de Milton Nascimento, desde o show “Tambores de Minas”, tendo participado de todas as faixas do CD gravado ao vivo. Atuou com o artista na temporada do show “Crooner”, em 1999. Participou do disco que reuniu Gilberto Gil & Milton Nascimento e da turnê nacional e mundial dos dois artistas. 

Foi responsável pela produção musical e pelos arranjos do CD “Nada Virtual”, do cantor e compositor Bernardo Lobo, lançado em 2000. 

Teve duas composições suas gravadas por Simone Guimarães no CD “Virada pra lua”: o bolero “Night Club”, com letra da própria cantora, e “Imagem & Semelhança”, em parceria com Bernardo Lobo e Milton Nascimento, que também cantou na faixa. 

Em 2001, lançou seu primeiro CD solo, “O pulo do gato”, com produção musical e arranjos próprios, contando com a participação dos irmãos, Jorge e Alberto Continentino, e de outros convidados como Milton Nascimento, Carlos Balla, Chico Batera, Bebeto Castilho, Luiz Alves, Cacá Colón, Armando Marçal e Paulinho Guitarra, entre outros. 

No ano seguinte, apresentou-se no Teatro Municipal de Niterói, em show de lançamento do disco, ao lado de Jorge Continentino (sopros), Gastão Villeroy (baixo), Cacá Colon (bateria) e Marco Lobo (percussão). O show contou com a participação especial de Milton Nascimento, Simone Guimarães e Arthur Maia. 

É um dos integrantes, juntamente com os irmãos Jorge e Alberto Continentino, do Continentrio, com o qual lançou CD homônimo, em 2004.

Ao lado de Luiz Alves (baixo) e Clauton Sales (bateria e trumpete), integra o Sambajazz Trio, com o qual lançou, em 2006, o CD “Agora sim!”, contendo suas composições “Maracalaxo” e “Sabor antigo”, além de releituras de “Deus brasileiro” (Marcos e Paulo Sérgio Valle), “Canção do sal” (Milton Nascimento), “O morro não tem vez” (Tom Jobim e Vinicius de Moraes), “Sweet Georgia Brown” e “Trenzinho do caipira” (Villa-Lobos), entre outras.

 

Em 2008, passou a tocar com Marco Lobo, integrando a sua banda. O grupo ficou conhecido pelo nome de “Marco Lobo Quinteto”. 

Obra
  • • Maracalaxo
  • • Sabor antigo
Discografia
  • • (2001) O pulo do gato • Niterói Discos • CD
  • • (2004) Continentrio • CD
  • • (2006) Agora sim! • Guanabara Records • CD
Bibliografia

http://dicionariompb.com.br/

http://www.memoriamusical.com.br/

http://www.mis.rj.gov.br/

http://www.discotecapublica.com.br/

https://acervosmusicais.wordpress.com/

http://acervocompositores.art.br/

http://www.violaobrasileiro.com.br/

http://jornalggn.com.br/blogs/laura-macedo

http://www.otempo.com.br/hotsites/concha

http://musicosdobrasil.com.br/dissertacoes.jsf

ALBIN, Ricardo Cravo. MPB: A História de um século. Rio de Janeiro: Funarte, 1997.

AMARAL, Euclides. Alguns Aspectos da MPB. Rio de Janeiro: Edição do Autor, 2008. 2ª ed. Esteio editora, 2010. 3ª ed. EAS Editora, 2014.

AZEVEDO, M. A . de (NIREZ) et al. Discografia brasileira em 78 rpm. Rio de Janeiro: Funarte, 1982.

CABRAL, Sérgio. No tempo de Ary Barroso. Rio de Janeiro: Lumiar, 1993.

CARDOSO, Sylvio Tullio. Dicionário Biográfico da música Popular. Rio de Janeiro: Edição do autor, 1965.

EFEGÊ, Jota. Figuras e coisas da Música Popular Brasileira. Rio de Janeiro: MEC/Funarte, 1978.

EPAMINONDAS, Antônio. Brasil brasileirinho. Rio de Janeiro: Instituto Nacional do Livro,1982.

História da Música Popular Brasileira. São Paulo: Editora Abril, 1982.

LUNA, Paulo – No compasso da bola. Rio de Janeiro, Irmãos Vitale, 2011.

MARCONDES, Marcos Antônio. (ED). Enciclopédia da Música popular brasileira: erudita, folclórica e popular. 2. ed. São Paulo: Art Editora/Publifolha, 1999.

MARIZ, Vasco. A canção brasileira. Rio de Janeiro: Francisco Alves, 2000.

MORAES, Mário de. Recordações de Ary Barroso. Rio de Janeiro: MEC/FUNARTE,1979.

REPPOLHO. Dicionário Ilustrado de Ritmos & Instrumentos de Percussão. Rio de Janeiro: GJS Editora, 2012. 2ª ed. Idem, 2013.

SEVERIANO, Jairo e MELLO, Zuza Homem de. A canção no tempo. Volume 1. São Paulo: 34, 1997.

TINHORÃO, José Ramos. Música popular – teatro e cinema. Rio de Janeiro: Vozes, 1972.

VASCONCELOS, Ary. Panorama da Música Popular Brasileira. Vol. 2. Rio de Janeiro: Martins, 1965.