Nossos Músicos

Acervo em constante construção.
Patrícia Ahmaral

Patrícia Ahmaral

Cantor, Compositor Natural de Belo Horizonte Nasceu em Gênero musical: Música popular brasileira
Biografia

Formada na Oficina de Teatro do diretor mineiro Pedro Paulo Cava.
Ainda criança participava do coro da Fundação Clóvis Salgado (Palácio das Artes).
Formada em Canto Lírico, com graduação na UFMG (Universidade Federal de Minas Gerais), participando como solista das óperas “Cosi Fan Tutte” em 1999 e “Lê Nozze di Figaro” em 2000, além de montagens realizadas pela Escola de Música da UFMG.

Dados Artistícos

 

Na década de 1970 iniciou profissionalmente no coro infantil.
Trabalhou como backing vocal de bandas de rock e da banda de soul Os Blaizers.
No ano de 1993 integrou a banda mineira Ouro de Tolo. Logo depois partiu para a carreira solo com o show “Assim Preto”, com a cantora miniera Rossanna Decelso. No ano seguinte formou uma banda Pó Com Pacto, com a qual percorreu vários espaços apresentando seus shows e participando de festivais: “Show Guardando pérolas pro fim do mundo”; “Festival Canta Minas”, da Rede Globo e show “Bateia” que reuniu vários artistas mineiros no Palácio das Artes.
Em 1997 gravou “Xica Rainha”, tema de abertura da novela Xica da Silva e ainda a faixa “Quenda” (Rede Manchete), com disco produzido por Marcus Vianna Fez o show de abertura da banda irlandesa Star from the Commitments, em Belo Horizonte. Por essa época, cantou na banda de soul Os Blazers ao lado de Guilherme Bizotto. Ainda neste ano, gravou um especial para a Rede Minas de Televisão, participou do projeto “Sexta no Coreto” e apresentou-se junto à Orquestra da Polícia Militar, na Praça da Liberdade. No ano seguinte, apresentou o espetáculo “Cultura e Civilização”, com direção e roteiro de Pedrinho Alves Madeira, e na “Primeira Bienal de Poesia de Belo Horizonte”, apresentou o show “Torquato Total”, só com composições do poeta piauiense em parceria com Gilberto Gil, Edu Lobo, Jards Macalé e Caetano Veloso, entre outros.Torquato Neto.
Em 1999, com produção musical de Zeca Baleiro, lançou o primeiro disco “Ah!”, com apoio das Leis Municipal (BH) e Estadual (MG) de Incentivo à Cultura e com o patrocínio das empresas Telemig Celular, Sesiminas e Viação Boavista. No disco contou com a participação especial de Zeca Baleiro e Maurício Pereira. Do  CD destacou-se a faixa “Máquina de escrever” (Luís Capucho e Mathilda Kóvak), música muito executada em emissoras FMs de Belo Horizonte, Recife, Salvador, Maceió, Florianópolis, São Paulo, Brasília e na Rádio MPB FM, do Rio de Janeiro, entre as dez mais pedidas. Os shows de lançamento do disco foram no Teatro Sesiminas em Belo Horizonte e no Mistura Fina, no Rio de Janeiro.
No ano 2001, apresentou o show “Ah!” no projeto “Café MPB”, do Teatro Café Pequeno, no Rio de Janeiro.
Em 2002 ao lado Jards Macalé e Roberto Lara, participou do “Projeto Novo Canto”, no Sesc de Copacabana, no Rio de Janeiro. Neste mesmo ano, participou do “Projeto Conexão Telemig Celular de Música”, no qual teve como convidado Pedro Luís (do grupo Pedro Luís e A Parede).
No ano de 2004 lançou o CD “Vitrola alquimista”, no qual contou com a participação especial de Jards Macalé na faixa “A outra beleza” (c/ Renato Villaça) e ainda interpretou “S. O S” (Raul Seixas), “Mixturação” (Walter Franco), “Cabelos longos” (Alceu Valença), “Carmem Carolina” (Christian Maia e Renato Negrão), “Mercedez Benz” (Ricardo Aleixo e Gil Amâncio) e “Amargo”, de Zeca Baleiro.
Em 2011 lançou o CD “Superpoder”, no qual interpretou as faixas “O tempo vai apagar” (Getúlio Cortes & PC Barros), “Sexto andar” (Carlos Tê e Helder Gonçalves), “Desejo de flor” (Vander Lee), “Mamãe coragem” (Caetano Veloso e Torquato Neto), “De romance” (Zeca Baleiro), “Espelho cristalino” (Alceu Valença), “Alucinação” (Belchior),  a faixa-título de autoria de Lula Queiroga, além de sua composições “Do querer”, “Sorry, baby” e “Revoada”, esta última em parceria com Vander Lee, e ainda composições de Totonho, Lucinha Turnbull, entre outros. O disco, contou com participações especiais de Chico César e Lucinha Turnbull,  foi lançado em show no Espaço FNAC Pinheiros, em São Paulo, no qual foi acompanhada pelo baixista Fernando Nunes (produtor do CD) e Egler Bruno (violão e efeitos).

 

Obra
  • • A outra beleza (c/ Renato Villaça)
Discografia
  • • (1997) Xica da Silva • CD
  • • (1999) Ah! • Independente • CD
  • • (2004) Vitrola alquimista • CD
  • • (2011) Superpoder • Independente • CD
Bibliografia

http://dicionariompb.com.br/

http://www.memoriamusical.com.br/

http://www.mis.rj.gov.br/

http://www.discotecapublica.com.br/

https://acervosmusicais.wordpress.com/

http://acervocompositores.art.br/

http://www.violaobrasileiro.com.br/

http://jornalggn.com.br/blogs/laura-macedo

http://www.otempo.com.br/hotsites/concha

http://musicosdobrasil.com.br/dissertacoes.jsf

ALBIN, Ricardo Cravo. MPB: A História de um século. Rio de Janeiro: Funarte, 1997.

AMARAL, Euclides. Alguns Aspectos da MPB. Rio de Janeiro: Edição do Autor, 2008. 2ª ed. Esteio editora, 2010. 3ª ed. EAS Editora, 2014.

AZEVEDO, M. A . de (NIREZ) et al. Discografia brasileira em 78 rpm. Rio de Janeiro: Funarte, 1982.

CABRAL, Sérgio. No tempo de Ary Barroso. Rio de Janeiro: Lumiar, 1993.

CARDOSO, Sylvio Tullio. Dicionário Biográfico da música Popular. Rio de Janeiro: Edição do autor, 1965.

EFEGÊ, Jota. Figuras e coisas da Música Popular Brasileira. Rio de Janeiro: MEC/Funarte, 1978.

EPAMINONDAS, Antônio. Brasil brasileirinho. Rio de Janeiro: Instituto Nacional do Livro,1982.

História da Música Popular Brasileira. São Paulo: Editora Abril, 1982.

LUNA, Paulo – No compasso da bola. Rio de Janeiro, Irmãos Vitale, 2011.

MARCONDES, Marcos Antônio. (ED). Enciclopédia da Música popular brasileira: erudita, folclórica e popular. 2. ed. São Paulo: Art Editora/Publifolha, 1999.

MARIZ, Vasco. A canção brasileira. Rio de Janeiro: Francisco Alves, 2000.

MORAES, Mário de. Recordações de Ary Barroso. Rio de Janeiro: MEC/FUNARTE,1979.

REPPOLHO. Dicionário Ilustrado de Ritmos & Instrumentos de Percussão. Rio de Janeiro: GJS Editora, 2012. 2ª ed. Idem, 2013.

SEVERIANO, Jairo e MELLO, Zuza Homem de. A canção no tempo. Volume 1. São Paulo: 34, 1997.

TINHORÃO, José Ramos. Música popular – teatro e cinema. Rio de Janeiro: Vozes, 1972.

VASCONCELOS, Ary. Panorama da Música Popular Brasileira. Vol. 2. Rio de Janeiro: Martins, 1965.