Nossos Músicos

Acervo em constante construção.
Praião e Prainha

Praião e Prainha

Cantor, Compositor Natural de Uberlândia Nasceu em Gênero musical: Música sertaneja
Biografia

Aguimar Fernandes Baleeiro, o Praião – Uberlândia, MG-1937; Goiânia, GO – 15/02/1973
Ademar Fernandes Baleeiro, o Prainha – Uberlândia, MG – 1941; Goiânia, GO -16/07/1992

Cantores. Dupla sertaneja. Compositores.

Dados Artistícos

A dupla começou imitando Silveira e Silveirinha em festas da cidade de Ituiutaba (MG). Em 1957, estrearam na Rádio Platina da mesma cidade. Cantavam também em circos e festas. Em 1959, foram para São Paulo. No mesmo ano, gravaram o primeiro disco, cantando o cateretê “Cabocla ingrata” e o xote “Mineiro de Ituiutaba”, ambas de Praião. No mesmo ano, gravaram o rasqueado “Só penso em te amar” e a cancão rancheira “Bebendo nos bares”, ambas composições da dupla. Foram convidados a atuar no programa “Alvora Cabocla”, de Nhô Zé na Rádio Nacional de São Paulo, passando a ser acompanhados pelo acordeonista Coqueirinho. Em 1960, gravaram o rasqueado “Quero beber” e o corrido “Enquanto as águas correrem”, ambas de autoria da dupla. No ano seguinte, gravaram “Ingratidão”, rasqueado de Mário Vieira. 1962 foi o ano de “Voltando pra Goiânia”, de Praião, Prainha e Zé do Rancho, e “Respondendo aos paulistas”, de Praião e Prainha. Em 1964, gravaram a canção rancheira “Bebo e não choro”, de Praião e Milano, e o cateretê “Comparação do relógio”, de Praião e Prainha. Em 1966, gravaram um LP pela Chantecler com destaque para “Igrejinha da serra”, de Mineirinho, o rasqueado “Rincão mato-grossense”, de Zacarias Mourão e Zé do Rancho, “Não quero esquecer-te”, de Luís de Castro e Julião Saturno, “Não bebo mais”, de Nonô Basílio, e “Bebida não mata a saudade”, de Luís de Castro e Benedito Siviero. Pouco depois gravaram mais um LP, com destaque para “Bebida não cura paixão”, de Praião e Prainha, “Goianinha meu amor”, de Duduca, e “Homenagem a Mato Grosso”, de Luís de Castro e Pedro Bento. Em 1967, lançaram outro LP, cantando, entre outras “Capricho do destino”, de Brás Hernández e Piraçununga, “Torrão goiano”, de Julião Saturno e Praião e “Filho de Ponta Porã”, de Piraji e Praião. Em 1968, lançaram mais um LP com as seguintes canções: “Lá no meio do mato”, de Raul Torres , “Sem ninguém por mim”, de Jair Gonçalves, “Duelo de amor”, de Goiá, “Só resta a saudade”, de Julião Saturno e Praião, “Lenço branco”, de Serrinha, “Martírio”, de Nestor e Praião, e “Saudações aos mineiros”, de Serrinha e Zé do Rancho. No mesmo ano a carreira da dupla foi bruscamente interrompida, devido a um acidente de carro que vitimou Praião.

Obra
  • Bebendo nos bares (Praião e Prainha)
  • Bebida não cura paixão (Praião e Prainha)
  • Bebo e não choro (Praião e Milano)
  • Cabocla ingrata (Praião)
  • Casamento é negócio (Praião e Prainha)
  • Comparação do relógio (Praião e Prainha)
  • Duas vidas iguais (Praião e Marumbi)
  • Enquanto as águas correrem (Praião e Prainha)
  • Falsa mulher (Praião e Prainha)
  • Filho de Ponta Porã (Piraji e Praião)
  • Linda menina (Praião, Prainha e O Gallardi)
  • Martírio (Nestor e Praião)
  • Mineiro de Ituiutaba (Praião)
  • Minha tristeza da vida (Praião, Prainha e Ramon Cadiz)
  • Não quero sofrer (Praião e Prainha)
  • Não te esqueço (Praião e Prainha)
  • Preciso beber (Praião e Zé Bonito)
  • Quero beber (Praião e Prainha)
  • Remédio pra despeito é beber (Praião e Zequito)
  • Respondendo aos paulistas (Praião e Prainha)
  • Segue teu destino (Praião e Prainha)
  • Sertão de Goiás (Praião e Prainha)
  • Só penso em te amar (Praião e Prainha)
  • Só resta a saudade (Julião Saturno e Praião)
  • Sofrimento profundo (Praião e Prainha)
  • Torrão goiano (Julião Saturno e Praião)
  • Voltando pra Goiânia (Praião, Prainha e Zé do Rancho)
Discografia
  • (1959) Só penso em te amar/Bebendo nos bares • Califórnia • 78
  • (1959) Cabocla ingrata/Mineiro de Ituiutaba • Califórnia • 78
  • (1960) Segue teu destino/Falsa mulher • Califórnia • 78
  • (1960) Quero beber/Enquanto as águas correrem • Califórnia • 78
  • (1961) Ingratidão/Belezas do Araguaia • Califórnia • 78
  • (1961) Não me desprezes/Duas vidas iguais • Califórnia • 78
  • (1962) Casamento é negócio/Não quero sofrer • Califórnia • 78
  • (1962) Não te esqueço/Sofrimento profundo • Califórnia • 78
  • (1962) Voltando pra Goiânia/Respondendo aos paulistas • Califórnia • 78
  • (1963) Remédio pra despeito é beber/Minha tristeza da vida • Califórnia • 78
  • (1963) Dia mais triste da vida/Sertão de Goiás • Califórnia • 78
  • (1964) Bebo e não choro/Comparação do relógio • Califórnia • 78
  • (1964) Linda menina/Preciso beber • Califórnia • 78
  • (1966) Praião e Prainha • Chantecler • LP
  • (1966) Igrejinha da serra • Chantecler • LP
  • (1967) Praião e Prainha • Chantecler • LP
  • (1968) Praião e Prainha • Chantecler • LP
Bibliografia

http://dicionariompb.com.br/

http://www.memoriamusical.com.br/

http://www.mis.rj.gov.br/

http://www.discotecapublica.com.br/

https://acervosmusicais.wordpress.com/

http://acervocompositores.art.br/

http://www.violaobrasileiro.com.br/

http://jornalggn.com.br/blogs/laura-macedo

http://www.otempo.com.br/hotsites/concha

http://musicosdobrasil.com.br/dissertacoes.jsf

ALBIN, Ricardo Cravo. MPB: A História de um século. Rio de Janeiro: Funarte, 1997.

AMARAL, Euclides. Alguns Aspectos da MPB. Rio de Janeiro: Edição do Autor, 2008. 2ª ed. Esteio editora, 2010. 3ª ed. EAS Editora, 2014.

AZEVEDO, M. A . de (NIREZ) et al. Discografia brasileira em 78 rpm. Rio de Janeiro: Funarte, 1982.

CABRAL, Sérgio. No tempo de Ary Barroso. Rio de Janeiro: Lumiar, 1993.

CARDOSO, Sylvio Tullio. Dicionário Biográfico da música Popular. Rio de Janeiro: Edição do autor, 1965.

EFEGÊ, Jota. Figuras e coisas da Música Popular Brasileira. Rio de Janeiro: MEC/Funarte, 1978.

EPAMINONDAS, Antônio. Brasil brasileirinho. Rio de Janeiro: Instituto Nacional do Livro,1982.

História da Música Popular Brasileira. São Paulo: Editora Abril, 1982.

LUNA, Paulo – No compasso da bola. Rio de Janeiro, Irmãos Vitale, 2011.

MARCONDES, Marcos Antônio. (ED). Enciclopédia da Música popular brasileira: erudita, folclórica e popular. 2. ed. São Paulo: Art Editora/Publifolha, 1999.

MARIZ, Vasco. A canção brasileira. Rio de Janeiro: Francisco Alves, 2000.

MORAES, Mário de. Recordações de Ary Barroso. Rio de Janeiro: MEC/FUNARTE,1979.

REPPOLHO. Dicionário Ilustrado de Ritmos & Instrumentos de Percussão. Rio de Janeiro: GJS Editora, 2012. 2ª ed. Idem, 2013.

SEVERIANO, Jairo e MELLO, Zuza Homem de. A canção no tempo. Volume 1. São Paulo: 34, 1997.

TINHORÃO, José Ramos. Música popular – teatro e cinema. Rio de Janeiro: Vozes, 1972.

VASCONCELOS, Ary. Panorama da Música Popular Brasileira. Vol. 2. Rio de Janeiro: Martins, 1965.