Nossos Músicos

Acervo em constante construção.
Uakti

Uakti

Instrumentista, Cantor, Compositor, Arranjador Natural de Belo Horizonte Nasceu em 1 de setembro de 1978 Gênero musical: Música popular brasileira, outro
Biografia

Conjunto instrumental formado em 1978, por Marco Antônio Guimarães (direção musical e cordas), discípulo de Walter Smetak, Paulo Sérgio dos Santos (percussão), Artur Andrés Ribeiro (sopros) e Décio de Souza Ramos (percussão)

Dados Artistícos

Seu nome foi retirado de uma lenda indígena dos Tukano, grupo étnico do Alto Rio Negro. Caracteriza-se por utilizar, além de instrumentos convencionais, outros idealizados e fabricados por seus próprios integrantes, feitos de madeira, vidro, tubos de PVC e até mesmo panelas e chaleiras.

Na década de 1980, lançou os LPs “Oficina instrumental” (1981), “Uakti 2” (1982), que registrou pela primeira vez a utilização da marimba d’Angelim, “Tudo e todas as coisas” (1984), a partir do qual o grupo passou a usar também a marimba de vidro e o aqualung, e “Mapa” (1989), que incluiu uma versão instrumental de “Dança dos meninos”, de Marco Antônio Guimarães e Milton Nascimento.

Na década de 1990, lançou os CDs “I Ching” (1993), leitura musical dos hexagramas do “I Ching”, feita para o Grupo Corpo, “Trilobyte” (1995) e “21” (1996), com sete haicais compostos por Marco Antônio Guimarães.

Participou de discos de Milton Nascimento (“Yauaretê” e “Encontros e despedidas”) e Lô Borges (“Meu filme”).

Em 2001, lançou no mercado brasileiro o CD “Águas da Amazônia”, comercializado apenas pelo próprio selo do grupo, através de e-mail ou telefone. O disco, lançado em 1997 nos Estados Unidos, contém nove composições de Philip Glass escritas em 1994 para um espetáculo do Grupo Corpo, adaptadas por Marco Antônio Guimarães para os instrumentos do conjunto, além da faixa-título, escrita pelo compositor especialmente para esse CD.

Lançou, em 2003, o CD “Clássicos”, gravado ao vivo. No repertório, obras de Bach, Mozart, Vivaldi, Verdi e Mussorgsky.

Em 2005, gravou o CD “Oiapok Xui”, contendo temas folclóricos e clássicos da MPB, como “Aquarela do Brasil” (Ary Barroso), “Águas de março” (Tom Jobim) e “Cravo e canela” (Milton Nascimento e Ronaldo Bastos).

 

Discografia
  • (1981) Oficina instrumental • Ariola
  • (1981) Oficina instrumental • Ariola
  • (1982) Uakti 2 • Ariola • LP
  • (1984) Tudo e todas as coisas • Barclay/Ariola • LP
  • (1989) Mapa • Paradoxx
  • (1993) I Ching • Paradoxx • CD
  • (1995) Trilobyte • Paradoxx • CD
  • (1996) 21 • Paradoxx • CD
  • (2001) Águas da Amazônia • Uakti • CD
  • (2003) Clássicos • Sonhos e Sons • CD
  • (2005) Oiapok Xui • Independente • CD
  • [S/D]) Bach-Trilha sonora da Cia.de Dança Grupo Corpo • Grupo Corpo • CD
Bibliografia

http://dicionariompb.com.br/

http://www.memoriamusical.com.br/

http://www.mis.rj.gov.br/

http://www.discotecapublica.com.br/

https://acervosmusicais.wordpress.com/

http://acervocompositores.art.br/

http://www.violaobrasileiro.com.br/

http://jornalggn.com.br/blogs/laura-macedo

http://www.otempo.com.br/hotsites/concha

http://musicosdobrasil.com.br/dissertacoes.jsf

ALBIN, Ricardo Cravo. MPB: A História de um século. Rio de Janeiro: Funarte, 1997.

AMARAL, Euclides. Alguns Aspectos da MPB. Rio de Janeiro: Edição do Autor, 2008. 2ª ed. Esteio editora, 2010. 3ª ed. EAS Editora, 2014.

AZEVEDO, M. A . de (NIREZ) et al. Discografia brasileira em 78 rpm. Rio de Janeiro: Funarte, 1982.

CABRAL, Sérgio. No tempo de Ary Barroso. Rio de Janeiro: Lumiar, 1993.

CARDOSO, Sylvio Tullio. Dicionário Biográfico da música Popular. Rio de Janeiro: Edição do autor, 1965.

EFEGÊ, Jota. Figuras e coisas da Música Popular Brasileira. Rio de Janeiro: MEC/Funarte, 1978.

EPAMINONDAS, Antônio. Brasil brasileirinho. Rio de Janeiro: Instituto Nacional do Livro,1982.

História da Música Popular Brasileira. São Paulo: Editora Abril, 1982.

LUNA, Paulo – No compasso da bola. Rio de Janeiro, Irmãos Vitale, 2011.

MARCONDES, Marcos Antônio. (ED). Enciclopédia da Música popular brasileira: erudita, folclórica e popular. 2. ed. São Paulo: Art Editora/Publifolha, 1999.

MARIZ, Vasco. A canção brasileira. Rio de Janeiro: Francisco Alves, 2000.

MORAES, Mário de. Recordações de Ary Barroso. Rio de Janeiro: MEC/FUNARTE,1979.

REPPOLHO. Dicionário Ilustrado de Ritmos & Instrumentos de Percussão. Rio de Janeiro: GJS Editora, 2012. 2ª ed. Idem, 2013.

SEVERIANO, Jairo e MELLO, Zuza Homem de. A canção no tempo. Volume 1. São Paulo: 34, 1997.

TINHORÃO, José Ramos. Música popular – teatro e cinema. Rio de Janeiro: Vozes, 1972.

VASCONCELOS, Ary. Panorama da Música Popular Brasileira. Vol. 2. Rio de Janeiro: Martins, 1965.