Nossos Músicos

Acervo em constante construção.
Zé Batuta e Batutinha

Zé Batuta e Batutinha

Cantor, Compositor Natural de Ponte Nova Nasceu em Gênero musical: Música sertaneja
Biografia

José da Silva Martins, Zé Batuta – Ponte Nova, MG – 1930
João Leme Teixeira, Batutinha – Conceição da Aparecida, MG – s. d. – Poços de Caldas, MG – 1994

Cantores. Dupla sertaneja. Compositor (Zé Batuta).

Dados Artistícos

Zé Batuta começou a tocar violão e a compor modas de viola ainda jovem. Em 1961, teve a primeira composição gravada, o xote “Gauchinho corajoso”, por Pedrão e Zé Campinas, pela gravadora Caboclo. Em meados dos anos 1960 a dupla formou-se. Em 1966, gravaram o primeiro disco, o LP “Sua dupla é uma parada dura” pela Sabiá, cuja faixa-título, foi composta por Zé Batuta e Beira Mar. Destacaram-se no disco de estréia, entre outras, as composições “A volta que o mundo dá”, de Zé Batuta e Lourival dos Santos, “Tudo errado”, de Zé Batuta e Moacir dos Santos, “Seis reis”, de Zé Batuta e Lourival dos Santos, “A mulher e a pinga” , de Orlandinho e Teo Macedo e “Passado cruel”, de Martins Neto e Zé Batuta. A composição de maior sucesso de Zé Batuta foi “Abre a porta Mariquinha”, gravada inicialmente por Zé do Rancho e Mariazinha, e em 1994, regravada por Sandy e Júnior. Em 1975, Zé Batuta apresentou-se no Museu de Arte Moderna de São Paulo integrando um conjunto típico a convite da cantora e pesquisadora Inezita Barroso, tendo, na ocasião, tocado e cantado em dueto com ela. Em 1976, Zé Batuta gravou o disco “Zé Batuta deu zebra”, com produção do Capitão Furtado e de Zacarias Mourão, com diversas composições inéditas, entre as quais “São Jorge, meu padroeiro”, de Zé Batuta e Lourival dos Santos, “Macaco velho”, e “Sina de cigarra”, de Zé Batuta e Capitão Furtado e “Derrota de caloteiro”, de Zé Batuta e Sebastião Pereira da Silva.

Obra
  • Gauchinho corajoso (Zé Batuta)
  • Sua dupla é uma parada (Zé Batuta e Beira Mar)
Discografia
  • (1966) Sua dupla é uma parada dura • LP
Bibliografia

http://dicionariompb.com.br/

http://www.memoriamusical.com.br/

http://www.mis.rj.gov.br/

http://www.discotecapublica.com.br/

https://acervosmusicais.wordpress.com/

http://acervocompositores.art.br/

http://www.violaobrasileiro.com.br/

http://jornalggn.com.br/blogs/laura-macedo

http://www.otempo.com.br/hotsites/concha

http://musicosdobrasil.com.br/dissertacoes.jsf

ALBIN, Ricardo Cravo. MPB: A História de um século. Rio de Janeiro: Funarte, 1997.

AMARAL, Euclides. Alguns Aspectos da MPB. Rio de Janeiro: Edição do Autor, 2008. 2ª ed. Esteio editora, 2010. 3ª ed. EAS Editora, 2014.

AZEVEDO, M. A . de (NIREZ) et al. Discografia brasileira em 78 rpm. Rio de Janeiro: Funarte, 1982.

CABRAL, Sérgio. No tempo de Ary Barroso. Rio de Janeiro: Lumiar, 1993.

CARDOSO, Sylvio Tullio. Dicionário Biográfico da música Popular. Rio de Janeiro: Edição do autor, 1965.

EFEGÊ, Jota. Figuras e coisas da Música Popular Brasileira. Rio de Janeiro: MEC/Funarte, 1978.

EPAMINONDAS, Antônio. Brasil brasileirinho. Rio de Janeiro: Instituto Nacional do Livro,1982.

História da Música Popular Brasileira. São Paulo: Editora Abril, 1982.

LUNA, Paulo – No compasso da bola. Rio de Janeiro, Irmãos Vitale, 2011.

MARCONDES, Marcos Antônio. (ED). Enciclopédia da Música popular brasileira: erudita, folclórica e popular. 2. ed. São Paulo: Art Editora/Publifolha, 1999.

MARIZ, Vasco. A canção brasileira. Rio de Janeiro: Francisco Alves, 2000.

MORAES, Mário de. Recordações de Ary Barroso. Rio de Janeiro: MEC/FUNARTE,1979.

REPPOLHO. Dicionário Ilustrado de Ritmos & Instrumentos de Percussão. Rio de Janeiro: GJS Editora, 2012. 2ª ed. Idem, 2013.

SEVERIANO, Jairo e MELLO, Zuza Homem de. A canção no tempo. Volume 1. São Paulo: 34, 1997.

TINHORÃO, José Ramos. Música popular – teatro e cinema. Rio de Janeiro: Vozes, 1972.

VASCONCELOS, Ary. Panorama da Música Popular Brasileira. Vol. 2. Rio de Janeiro: Martins, 1965.